Angela Merkel sugere lockdown na Alemanha até abril

De acordo com Merkel, os casos de covid-19 podem aumentar dez vezes até a Páscoa, caso a disseminação não diminua

A chanceler alemã, Angela Merkel, sugeriu que o "lockdown" na Alemanha deve durar mais oito a dez semanas, diante da preocupação das autoridades de saúde com a propagação da nova variante do coronavírus encontrada no Reino Unido.

Segundo Merkel, os casos no país podem aumentar dez vezes até o feriado da Páscoa, se o governo não tiver sucesso em diminuir sua disseminação. O atual bloqueio nacional, que envolve a suspensão das aulas presenciais e serviços não essenciais, estava previsto até 31 de janeiro. A chanceler e outros líderes políticos sugerem que a data seja estendida.

A Alemanha tem relatado uma alta incidência diária do vírus, embora os números ainda permaneçam distorcidos devido à subnotificação das festas de final de ano. Desde o Natal, a taxa de mortalidade em 24 horas é de cerca de mil casos. O país iniciou seu programa de vacinação em 27 de dezembro. Nesta segunda-feira, 11, pouco mais de 630 mil pessoas haviam sido vacinadas com o imunizante da BioNTech/Pfizer. Os primeiros lotes da vacina da Moderna chegaram nesta terça-feira, 12, em solo alemão.

O país soma 1.946.539 de casos de covid-19 e 41.892 óbitos, segundo a universidade americana Johns Hopkins.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 9,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.