Alemanha se preparara para se juntar a intervenção contra EI

Mas eles iriam bem além dos esforços atuais do país para combater o Estado islâmico, que se limitam a apoiar combatentes curdos no norte do Iraque

Berlim - A Alemanha se prepara para se juntar a uma intervenção militar contra o Estado Islâmico na Síria, disseram autoridades parlamentares nesta quinta-feira, em um movimento que mostra que os ataques de Paris forçaram uma das nações menos militaristas da Europa a reconsiderar a sua posição.

Os planos, comentados um dia depois de uma reunião entre a chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente francês, François Hollande, em Paris, não envolveriam imediatamente um papel de combate para as tropas alemãs.

Mas eles iriam bem além dos esforços atuais do país para combater o Estado Islâmico, que se limitam a apoiar combatentes curdos no norte do Iraque.

Merkel planeja solicitar a aprovação parlamentar para ajudar os esforços de Hollande contra Estado Islâmico com combustível, aviões de reconhecimento, vigilância por satélite e uma fragata armada para proteger um porta-aviões francês, disse a autoridade parlamentar familiarizada com o assunto. A aprovação final para a missão poderia vir antes do Natal, disse o funcionário.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.