Com a inflação em alta, 44% dos brasileiros reduziram gastos com pets

Consumidores diminuíram gastos com brinquedos e sachês dos pets nos últimos meses; cuidados médicos também estão na lista de despesas cortadas
Animais de estimação: inflação obriga consumidores a rever gastos e diminuir despesas, inclusive com seus pets (Leandro Fonseca/Exame)
Animais de estimação: inflação obriga consumidores a rever gastos e diminuir despesas, inclusive com seus pets (Leandro Fonseca/Exame)
T
Thais Cancian

Publicado em 29/07/2022 às 14:57.

Última atualização em 29/07/2022 às 15:37.

A inflação tem obrigado os consumidores a rever gastos e diminuir despesas, o que também tem impactado os animais de estimação nos lares brasileiros. Segundo uma pesquisa do C6 Bank/Ipec, 44% dos brasileiros das classes ABC com acesso à internet diminuíram os gastos com pets nos últimos seis meses por causa da alta de preços.

Brinquedos e alimentos estão entre os itens mais afetados pela mudança de comportamento dos donos de animais de estimação — 29% dos entrevistados pararam de comprar sachês, biscoitinhos, petiscos ou guloseimas para os pets, enquanto 35% diminuíram a frequência de compra desses produtos. Conforme a pesquisa, 16% cortaram a quantidade comprada de ração e 48% trocaram o tipo de ração por outro mais barato.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia

A inflação também afetou os momentos de lazer dos bichinhos — 26% das pessoas ouvidas na pesquisa pararam de gastar dinheiro com passeadores ou treinadores, e 46% deixaram de investir em brinquedos ou acessórios. Os animais também passaram a frequentar o pet shop com menor frequência — 56% dos tutores diminuíram gastos com banho e tosa ou pararam de usar o serviço.

Cuidados médicos também estão na lista de despesas cortadas. De acordo com o C6 Bank/Ipec, 18% dos entrevistados eliminaram o gasto com veterinário, 34% diminuíram o gasto com o especialista, e 15% trocaram o profissional por um outro mais em conta. Por outro lado, 16% não mudaram o perfil de gastos, enquanto 17% não costumam recorrer a veterinários para cuidar do pet.

A pesquisa mostra que 69% dos brasileiros das classes ABC com acesso à internet têm um animal de estimação em casa. A maior parte dos entrevistados que realizaram cortes (53%) gasta de R$ 101 a R$ 499 por mês com os bichinhos, enquanto 44% desembolsam menos de R$ 100. Para 1% dos que cortaram gastos, as despesas mensais com pet superam a marca de R$ 1 mil.

A pedido do C6 Bank, o Ipec ouviu 2 mil brasileiros com acesso à internet e mais de 16 anos em todas as regiões do país. As entrevistas foram realizadas entre os dias 14 e 20 de julho de 2022, e a margem de erro é de 2 pontos percentuais.

Esteja sempre informado sobre as notícias que movem o mercado. Assine a EXAME por menos de R$ 11/mês