15 dicas para não cair em golpes durante as compras de Natal

Com a agitação de final de ano, quadrilhas especializadas se aproveitam para aplicar golpes usando a tática da engenharia social
Nesta época do ano são comuns abordagens de criminosos com páginas falsas que simulam e-commerce; promoções falsas enviadas por e-mails, SMS e mensagens de WhatsApp (TransUnioin/Divulgação)
Nesta época do ano são comuns abordagens de criminosos com páginas falsas que simulam e-commerce; promoções falsas enviadas por e-mails, SMS e mensagens de WhatsApp (TransUnioin/Divulgação)
Por Karla MamonaPublicado em 11/12/2021 08:47 | Última atualização em 10/12/2021 13:56Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Com a proximidade do Natal e o recebimento do 13º salário, consumidores saem às compras seja no varejo de rua, shoppings ou ainda aproveitam as facilidades oferecidas pelos sites e lojas virtuais para adquirirem os presentes.

Com a agitação de final de ano, quadrilhas especializadas se aproveitam para aplicar golpes, que causam prejuízo, especialmente usando a tática da engenharia social, que consiste na manipulação do usuário para que ele lhe forneça informações confidenciais e para o roubo de dados pessoais.

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) alerta que o consumidor deve redobrar os cuidados para fazer suas compras, e lembra que nesta época do ano são comuns abordagens de criminosos com páginas falsas que simulam e-commerce; promoções falsas enviadas por e-mails, SMS e mensagens de WhatsApp e a criação de perfis falsos que investem em mídia pra aparecer em páginas e stories de redes sociais.

“É preciso estar sempre atento, mas em épocas como o Natal, em que o volume de compras é muito maior, o cuidado tem que ser redobrado”, alerta Adriano Volpini, diretor do Comitê de Prevenção a Fraudes da Febraban.

Veja a seguir 15 dicas de segurança para as compras de Natal:

Em lojas virtuais

  • Dê preferência a sites conhecidos e confira sempre se o endereço do site é o verdadeiro. Para garantir, não clique em links e digite o endereço no navegador;
  • Sempre use o cartão virtual para realizar compras na internet;
  • Leia comentários de clientes que já utilizaram as plataformas;
  • Nunca clique em links desconhecidos para fazer suas compras e nem em links recebidos por WhatsApp e SMS;
  • Verifique com atenção as formas de pagamento oferecidas pelo e-commerce e desconfie quando existem poucas opções;
  • Desconfie das promoções cujos preços sejam muito menores que o valor real do produto, pois criminosos se utilizam da empolgação dos consumidores em fazer um grande negócio para coletar informações e aplicar golpes que geram grandes prejuízos;
  • Nunca clique em links que peçam sincronização, atualização, manutenção de token, app ou cadastro do banco;
  • Antes de incluir o número do cartão, veja, na barra do navegador, se está na página certa e oficial da loja;
  • Não compartilhe sua senha com amigos e parentes ou encaminhe senhas por aplicativos de mensagens, e-mails ou SMS;
  • Nunca utilize dados pessoais como senha (ex. data de aniversário, placa de carro, etc.), nem números repetidos ou sequenciais (ex. 111111 ou 123456), nem anote senhas em papel, no celular ou no computador;
  • Se for pagar com Pix, sempre faça o pagamento dentro do ambiente da loja virtual. Quando o varejista fornecer o código QR Code, confira com atenção todos os dados do pagamento e se a loja escolhida é realmente quem irá receber o dinheiro. Só após essa checagem detalhada, faça a transferência;
  • Se for pagar a compra com boleto, confira quem é a empresa beneficiária que aparece no momento do pagamento do boleto, no aplicativo ou site do banco. Se o nome for diferente da marca ou empresa onde a compra foi feita, a transação não deve ser concluída.

Em lojas físicas 

  • Passe você mesmo o cartão na maquininha em vez de entregá-lo para outra pessoa;
  •  Sempre confira o valor na maquininha antes de digitar a sua senha. E proteja o código de segurança;
  •  Ao terminar de realizar uma compra na maquininha, verifique o nome no cartão para ter certeza de que realmente é o seu. Golpistas podem se aproveitar de distrações para trocar o seu cartão.