Wall Street proclama a morte das ações, mas isso é bom

Indicador do BofA mostra que nível de pessimismo é o maior em 15 anos, o que pode representar oportunidades em breve
Estrategistas do lado vendedor estão pessimistas - e isso pode ser bom (Mario Tama/ Getty Images)
Estrategistas do lado vendedor estão pessimistas - e isso pode ser bom (Mario Tama/ Getty Images)
L
Lilian SobralPublicado em 03/07/2012 às 10:18.

São Paulo – Um indicador calculado pelo Bank of America Merrill Lynch mostra que os analistas do lado vendedor de ações (sell side – corretoras/ os gestores de fundos são conhecidos como buy side) estão no momento mais pessimista do mercado desde 1998, superando o sentimento de preocupação visto na crise da bolha da internet, em 2000, e até as preocupações com a crise financeira em 2008.

Um relatório do banco obtido pela Business Insider mostra que o índice caiu 0,8 ponto percentual, para 49,3 pontos, marcando a primeira vez em 15 anos abaixo dos 50 pontos. Quanto mais baixo, o número sinaliza maior pessimismo em Wall Street.

Como o indicador mede o sentimento do lado vendedor, ele tem uma natureza contrária às recomendações. “Estamos encorajados pela falta de otimismo de Wall Street e pelo fato de que os estrategistas estão recomendando que os investidores diminuam significativamente suas posições em ações”, escreveram os estrategistas do BofA Savita Subramanian, Dan Suzuki e Jill Carey.

O banco descobriu que este pode ser uma forte indicação de compra porque as ações e os analistas já estariam precificando um cenário muito ruim.

Com os dados do indicador, os estrategistas apontam que o índice americano S&P500 pode terminar o ano em 1665 pontos, indicando um retorno de 22% no ano. Essa não é a previsão oficial do BofA, mas é usada para compor as estimativas dos analistas do banco.