Acompanhe:

Softbank vende US$ 22 bi de ações do Alibaba (BABA34)

A operação foi realizada por meio de contratos a termo pré-pagos, um tipo de derivativo muito usado pelo SoftBank para levantar dinheiro imediatamente sem ter que vender as ações

Modo escuro

Continua após a publicidade
Sede do Alibaba (BABA34) (Alibaba/Exame)

Sede do Alibaba (BABA34) (Alibaba/Exame)

C
Carlo Cauti

Publicado em 3 de agosto de 2022 às, 19h19.

O SoftBank estaria se preparando para reduzir ainda mais sua participação no capital do Alibaba (BABA34).

O banco japonês levantou US$ 22 bilhões por meio de contratos a termo pré-pagos, um tipo de derivativo muito usado pelo SoftBank para levantar dinheiro imediatamente sem ter que vender as ações - no caso do Alibaba - que tem em sua carteira.

A informação foi divulgada pelo próprio grupo nipônico em um documento depositado na Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC, na sigla em inglês).

O grupo japonês, liderado por Masayoshi Son, já vendeu este ano cerca de um terço de sua participação no Alibaba através desses contratos.

Desde o começo do ano haviam boatos no mercado internacional sobre a intenção do banco japonês de vender sua participação no gigante chinês de comércio eletrônico, todas desmentidas pelo SoftBank.

Com essa nova venda, o SoftBank poderia reduzir sua participação na gigante chinesa de comércio eletrônico abaixo do limite para manter uma cadeira no Conselho de Administração.

O SoftBank pode recomprar de volta as ações do Alibaba no momento em que o contrato vencer. Entretanto, caso decida de não comprar de volta os papéis, seria o fim de uma era no mercado financeiro asiático.

Isso pois boa parte da fortuna do banco japonês foi construída graças aos US$ 20 milhões investidos há mais de duas décadas no Alibaba, quando a empresa era ainda uma start-up de comércio eletrônico.

Isso gerou um enorme retorno sobre o investimento que marcou a história do SoftBank e fez de seu CEO, Son, o homem mais rico do Japão.

Venda do Alibaba (BABA34) pelo SoftBank marcaria mudança de percepção sobre a China

Segundo analistas, caso essa venda se concretize, significaria uma mudança de percepção por parte de investidores sobre o mercado chinês.

No momento, Alibaba representa o único ativo líquido do SoftBank. Todos os outros são empresas ainda não listadas ou onde não há mercado secundário.

Entretanto, é preciso considerar que os esforços do SoftBank para levantar dinheiro são motivados também pela necessidade de cobrir as perdas registradas com o Vision Fund, que no ano passado perdeu US$ 27 bilhões.

Nos últimos 12 meses as ações do Alibaba perderam -53,02% na Bolsa de Valores de Hong Kong.

Últimas Notícias

Ver mais
Amor em baixa? Por que os aplicativos de namoro, como Tinder e Bumble, desabam 80% na bolsa
seloMercados

Amor em baixa? Por que os aplicativos de namoro, como Tinder e Bumble, desabam 80% na bolsa

Há um dia

5 fatos para entender o que está acontecendo com a Vale (VALE3)
seloMercados

5 fatos para entender o que está acontecendo com a Vale (VALE3)

Há 2 dias

Ouro fecha em alta em cenário de cautela, mas cai em semana com surpresas de inflação
seloMercados

Ouro fecha em alta em cenário de cautela, mas cai em semana com surpresas de inflação

Há 2 dias

Bolsas da Europa fecham em alta; NatWest e mineradoras animam Londres
seloMercados

Bolsas da Europa fecham em alta; NatWest e mineradoras animam Londres

Há 2 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais