Invest

Privatização da Sabesp e balanços de Netflix e TSMC: 3 assuntos que movem o mercado

Bolsas se recuperam no exterior após início de semana negativo; temores internacionais e preocupação fiscal vêm pressionando preço dos ativos

Tanque da Sabesp: Câmara aprova privatizaão (Sabesp/Divulgação)

Tanque da Sabesp: Câmara aprova privatizaão (Sabesp/Divulgação)

Guilherme Guilherme
Guilherme Guilherme

Repórter de Invest

Publicado em 18 de abril de 2024 às 08h21.

Última atualização em 18 de abril de 2024 às 08h23.

As principais bolsas internacionais sobem na manhã desta quinta-feira, 18, se recuperando das perdas dos últimos dias. Temores sobre as tensões no Oriente Médio e a expectativa de juros altos por mais tempo nos Estados Unidos pressionaram vinham adicionando maior aversão ao risco no exterior. Aqui somam-se as preocupações fiscais, após mudança de meta na Lei de Diretrizes Orçamentárias.

As pressões também foram sentidas no preço do dólar, que fechou ontem a R$ 5,23, quase R$ 0,40 acima do nível do início do ano. Sem grandes surpresas, a tendência é os ativos brasileiros seguirem o ambiente positivo de queda do dólar e alta das bolsas. A agenda, ao menos, deve ajudar, sem grandes indicadores previstos para esta quinta.

Privatização da Sabesp avança

A Câmara Municipal de São Paulo aprovou ontem, 17, o projeto de privatização da Sabesp. Embora já tenha recebido o aval da Assembleia Legislativa do estado, a aprovação de vereadores era necessária, uma vez que a cidade de São Paulo é a principal cliente da Sabesp e previa que, em caso de mudança de controle da companhia, o próprio município deveria assumir o sistema de água. O projeto, agora, vai para a segunda votação. O governo do estado ainda anunciou na véspera que pretende manter 18% das ações da empresa após a privatização. A posição atual do governo é de 50,26%.

TSMC

A fabricante de chips taiwanesa TSMC apresentou o resultado do primeiro trimestre nesta manhã. O lucro por ação cresceu 8,9%  para US$ 1,34, levemente acima do consenso de US$ 1,3. Já a receita foi de US$ 18,24 bilhões, cerca de US$ 40 milhões abaixo do esperado. O resultado, no entanto, ficou dentro do guidance da companhia, que era de uma receita entre US$18 bilhões e US$18.8 bilhões para o período. Nona maior do mundo em valor de mercado, a empresa é a principal fabricante de chips do mundo, tendo, inclusive, a Nvidia como cliente. As ações da companhia caem 2% no pré-mercado americano.

Netflix

Quem também irá divulgar seus números do primeiro trimestre hoje será a Netflix. O balanço está previsto para após o encerramento do pregão. A expectativa é de que a companhia de streaming apresente US$ 9,27 bilhões de receita e um lucro por ação de US$ 4,7.

Acompanhe tudo sobre:bolsas-de-valoresSabespAçõesNetflixTSMC

Mais de Invest

Veja o resultado da Mega-Sena, concurso 2726; prêmio é de R$ 30 mi

Devedores têm último fim de semana para aderir ao Desenrola Brasil

Para acelerar atendimento a benefícios sociais, Caixa abre 17 agências no RS no sábado e domingo

Sem ‘abocanhada’ do leão: analista recomenda 4 ativos de renda fixa que pagam até IPCA + 7,1%

Mais na Exame