Acompanhe:

Os unicórnios e decacórnios que fazem fila para o tão esperado retorno das megalistagens em 2024 são candidatos à altura. Também estavam à altura neste ano, mas a expectativa não se concretizou.

Estreias de empresas como Reddit, Syngenta Group e CVC Capital Partners, destinadas a impulsionar a morna atividade global de ofertas públicas iniciais, foram adiadas, por vezes repetidamente. Empresas e investidores ainda não conseguiram fechar totalmente a lacuna entre as respectivas expectativas de “valuation”, estabelecidas durante épocas de expansão alimentadas por dinheiro barato.

Embora os banqueiros continuem globalmente otimistas em relação a 2024, até esse segmento admite que, depois de meses de oscilações não terem conseguido sustentar a atividade, um verdadeiro retorno à normalidade poderá levar meses.

Seria prematuro dizer que existe um mercado normalizado de IPOs logo ali”, disse Eddie Molloy, codiretor de mercados de capitais em renda variável para as Américas do Morgan Stanley.

Quase US$ 130 bilhões foram captados por meio de IPOs globais neste ano, a caminho do pior desempenho desde 2009, mostram dados compilados pela Bloomberg. Com negociações pós-estreia medíocres em várias das maiores ofertas do ano, dando uma pausa aos novos participantes, o retorno a um mercado típico de IPOs pode se arrastar até 2025.

Embora a atividade de IPOs em 2024 deva proporcionar um ganho significativo em relação a 2023, 2025 é quando “voltaremos à normalidade pré-Covid”, disse Achintya Mangla, chefe global de mercados de capitais em renda variável do JPMorgan Chase.

O banco analisa o “ciclo de IPOs de longo prazo de forma holística, em oposição a 2024 versus 2025”, disse.

IPOs adiados

Não é atípico que empresas planejem com bastante antecedência suas primeiras vendas de ações. Ainda assim, os atrasos enfrentados por alguns dos maiores emissores potenciais ajudam a explicar os mercados de IPOs em 2023.

Fundamentos mais estáveis levaram ao otimismo de que o leque de empresas em busca de investidores nas bolsas no ano que vem se estenderá a companhias com foco em crescimento.

“Haverá mais IPOs chegando ao mercado com a possibilidade de que os juros possam ter atingido o pico”, disse Jim Cooney, chefe de mercados de capitais em renda variável para as Américas do Bank of America. “Os investidores voltaram a procurar ativos de crescimento, e os IPOs oferecem essa opção.”

Outro fator que pode levar empresas a fechar acordos: o tempo.

A diferença no valuation – entre a forma como investidores e a gestão de empresas privadas se percebem, por vezes com base em valuations anteriores de rodadas de financiamento pré-IPO e o que investidores de mercados abertos estão dispostos a pagar – continua a ser um ponto delicado.

Ainda assim, os IPOs adiados impactam a taxa interna de retorno dos investidores, disse Matt Warren, codiretor de originação de caixa de mercado de capitais em renda variável para as Américas no Bank of America.

“Em algum momento, você terá que iniciar o processo de monetização para obter ganhos”, explicou Warren.

 Calendário Eleitoral

As eleições de peso nos EUA estão longe de ser o único potencial evento de mudança de liderança no calendário para o próximo ano. Embora o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, provavelmente se mantenha no poder, líderes do Reino Unido, Alemanha, Canadá e Japão enfrentam turbulências e baixos índices de aprovação que os pressionam a convocar eleições já em 2024.

O Japão, onde a desvalorização do iene ajudou o índice de referência a subir quase 25% neste ano, tem sido repetidamente apontado por investidores como um mercado de IPOs a ser observado. É pouco provável que compense totalmente a ausência de grandes ofertas na China ou em Hong Kong, resultando em demissões em bancos devido ao mal-estar econômico.

“A Ásia continua a ser muito interessante”, disse Douglas Adams, co-diretor global de mercado de capitais do Citi, que também destacou empresas no Brasil. “Pensamos onde há inovação e companhias interessantes, e o Brasil é uma área onde estamos dedicando muito tempo”, disse.

Ainda assim, a evolução do mercado nos EUA lança inevitavelmente uma grande dúvida. Empresas do mundo todo estão “interessadas no que está acontecendo no mercado dos EUA e em como isso se traduz globalmente”, destacou Adams.

Confira as últimas notícias de Invest:

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Fusão da 3R Petroleum, Petrobras descobre petróleo e CPI dos EUA: os assuntos que movem o mercado
seloMercados

Fusão da 3R Petroleum, Petrobras descobre petróleo e CPI dos EUA: os assuntos que movem o mercado

Há 21 horas

Bolsas da Europa sobem, com ganhos liderados por ações de tecnologia, à espera do CPI dos EUA
seloMercados

Bolsas da Europa sobem, com ganhos liderados por ações de tecnologia, à espera do CPI dos EUA

Há 22 horas

Bolsas da Ásia fecham majoritariamente em baixa, após Fitch rebaixar perspectiva da China
seloMercados

Bolsas da Ásia fecham majoritariamente em baixa, após Fitch rebaixar perspectiva da China

Há 22 horas

O que é hedge? Como proteger seu patrimônio com o mercado financeiro
seloGuia de Investimentos

O que é hedge? Como proteger seu patrimônio com o mercado financeiro

Há 22 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais