Lucro do Banco do Brasil chega a R$ 8,8 bilhões no 3º tri, abaixo das expectativas

Carteira de crédito ampliada somou R$ 1,07 trilhão, alta de 10% em base anual

Sede do Banco do Brasil em Brasília: estatal tem lucro de R$ 8,8 bilhões no 3º tri (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Sede do Banco do Brasil em Brasília: estatal tem lucro de R$ 8,8 bilhões no 3º tri (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Beatriz Quesada
Beatriz Quesada

Repórter de Invest

Publicado em 8 de novembro de 2023 às 19h07.

Última atualização em 8 de novembro de 2023 às 19h34.

O Banco do Brasil (BBAS3) apresentou lucro líquido ajustado de R$ 8,78 bilhões no terceiro trimestre de 2023, crescimento de 4,5% em base anual. Frente ao trimestre passado, o indicador subiu apenas 0,7%. 

O resultado ficou abaixo das expectativas dos analistas, que esperavam um resultado nos mesmos patamares que o Itaú, na casa dos R$ 9 bilhões.

A rentabilidade do BB medida pelo retorno sobre patrimônio líquido (ROE), alcançou 21,3%. O resultado apresentou uma queda de 0,6 ponto percentual (p.p.). em base anual, e estabilidade frente ao trimestre anterior.

Por sua vez, a margem financeira bruta alcançou R$ 23,680 bilhões no período, crescimento de 21,1% frente ao mesmo período do ano anterior e de 3,5% em comparação ao trimestre passado.

Já as receitas de prestação de serviços atingiram R$ 8,670 bilhões — aumento de 1,7% em 12 meses e de 4,6% ante o primeiro trimestre.

Carteira de crédito e avanço das provisões

A carteira de crédito ampliada somou R$ 1,07 trilhão no segundo trimestre, com alta de 10% em igual base de comparação anual e expansão de 2% na trimestral. 

O grande destaque veio do agronegócio, com a carteira alcançando R$ 339,93 bilhões – uma alta de 18,9% em base anual. A carteira de pessoa física, por sua vez, avançou para  R$ 304,14 bilhões, alta de 7,9%. Já a carteira de empresas subiu para R$ 371,44 bilhões, ganhos de 4,7%.

A inadimplência acima de 90 dias atingiu 2,81% no terceiro trimestre, alta de 0,4 ponto percentual (p.p.) em um ano.

Aumentaram também as provisões para devedores duvidosos (PDD), que somaram R$ 7,516 bilhões no segundo trimestre – crescimento de 66,4% em base anual. Ante o primeiro trimestre, o volume alocado para PDD aumentou 4,7%.

A alta nas provisões foi atribuída, indiretamente, à Americanas. O BB citou a elevação de nível de risco de créditos "de empresa do segmento large corporate que entrou com pedido de recuperação judicial em janeiro de 2023". O banco ainda não havia provisionado 100% da dívida com a varejista até este trimestre.

Dividendos e JCP

Junto com o balanço, o BB anunciou que irá pagar R$ 2,25 bilhões em dividendos e juros sobre capital próprio (JCP) referentes aos resultados do terceiro trimestre de 2023. Serão pagos R$ 291 milhões em dividendos e R$ 1,958 bilhão via JCP.

Veja também

Mais de Invest

Por que a NTN-B do Tesouro está pagando IPCA+6? Veja se vale a pena investir

Pé-de-meia: pagamento de R$ 200 por frequência começa dia 25

Receita Federal libera consulta ao lote residual do IR; veja se você recebe

Dólar volta a subir com tensões fiscais e expectativas nos mercados internacionais

Mais na Exame