• BVSP 117.669,90 -0,5%
  • USD 5,6926 +0,0000
  • EUR 6,7616 +0,0000
  • ABEV3 15,43 -0,13%
  • BBAS3 29,27 +0,55%
  • BBDC4 25,25 +0,04%
  • BRFS3 23,91 -1,97%
  • BRKM3 43,57 -0,98%
  • BRML3 9,95 +1,95%
  • BTOW3 62,7 -0,85%
  • CSAN3 89,25 -0,45%
  • ELET3 35,45 -1,50%
  • EMBR3 16,02 -0,37%
  • Petróleo 62,17 +0,00%
  • Ouro 1.756,80 +0,00%
  • Prata 25,54 +0,00%
  • Platina 1.209,30 +0,00%

Libra desaba 7,5% e atinge nível mais baixo desde 1985

A libra desvalorizou-se mais de 7,5% em relação ao dólar e 6% frente ao euro, abalada pela vitória do "brexit"

Londres - A libra desvalorizou-se nesta sexta-feira mais de 7,5% em relação ao dólar - alcançando seu patamar mais baixo desde 1985 em um só pregão - e 6% frente ao euro, abalada pela vitória do "brexit" no referendo sobre o futuro do Reino Unido na União Europeia.

O resultado da consulta popular chegou a causar uma queda de até 11% na cotação da libra frente ao dólar, passando do máximo anual registrado ontem, de US$ 1,4877, para o mínimo, no pregão de hoje, que foi de US$ 1,3237 por volta das 5h28 (horário de Londres), seu nível mais baixo desde 1985 - naquele ano, chegou a US$ 1,0520.

Com isso, a desvalorização da moeda britânica confirmou as previsões de analistas como os da AXA Investment Management, que viam "uma queda de 10% da libra frente ao dólar", embora essa baixa tenha superado a faixa de US$ 1,36 e US$ 1,41 que foi prevista pelo economista-chefe do Saxofone Bank, Steen Jakobsen.

No entanto, ao longo da sessão, a libra se estabilizou frente ao dólar para US$ 1,3634 pouco depois das 14h, com uma queda de 8%.

No final do dia, a libra era cotada a US$ 1,375, 7,54% abaixo da cotação de ontem.

A libra também registrou sua maior perda de valor em relação ao euro desde 17 de dezembro de 2008, quando caiu 3,09%. Como ocorreu com o dólar, a libra conseguiu recuperar parte do prejuízo ao longo do pregão, terminando com queda de 6%, para 1,228 euro.

No entanto, apesar de o euro ter se fortalecido frente à libra, os analistas do mercado temem consequências negativas para a moeda europeia devido ao "brexit".

O diretor de riscos da Ebury, Enrique Díaz-Álvarez, considera que "os níveis de cotação atuais entre euro a dólar não estão levando em conta a piora do panorama político", e nas próximas semanas "a tendência do euro será consideravelmente de baixa".

Os analistas do Goldman Sachs preveem um "rendimento menor" do euro devido à incerteza pelo "brexit" e os passos que se seguirão durante o processo de saída.

O euro caiu hoje 2,16% frente ao dólar, 0,67% em relação ao franco-suíço e 5,78% no câmbio com o iene.

A protagonista do dia, a libra, também se desvalorizou em relação a estas divisas, consideradas refúgio para investidores hoje. A moeda britânica despencou 11,08% frente à divisa japonesa, para 140,02 ienes, e 6,54% no câmbio com o franco-suíço, para 1,332 francos.

As turbulências ocorridas hoje no mercado de divisas devem se repetir nos próximos dias úteis, segundo os analistas.

"Nos próximos seis meses, a libra pode se desvalorizar cerca de 10%", diz um relatório do Goldman Sachs.

Já o economista Victor Peiró, da Beka Finance, acredita que a desvalorização da divisa britânica pode ser dessa magnitude nos próximos dias.

Robert Tornabell, professor da Esade, considera que os bancos centrais "se verão obrigados a dar apoio à libra esterlina" com medidas como a compra de dívida soberana em libras e a injeção de liquidez nas bolsas e a dívida corporativa das companhias britânicas.

De fato, o Banco da Inglaterra já anunciou que vai respaldar as "facilidades de liquidez na libra e nas divisas".

No mercado de matérias-primas, o "brexit" beneficiou a cotação do ouro, que se valorizou hoje 4,79%, para US$ 1.317 a onça, e os investidores recorreram também ao bônus alemão, que voltou a taxas de rendimento negativas.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.