Acompanhe:
O presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, criticou as apostas crescentes de Wall Street de cortes de juros no primeiro semestre de 2024, e disse que o banco central agirá com cautela mas manterá a opção de mais aperto.

“Seria prematuro concluir com confiança que atingimos uma posição suficientemente restritiva, ou especular sobre quando a política monetária poderá ser flexibilizada”, disse Powell nesta sexta-feira em um evento em Atlanta. “Estamos preparados para apertar ainda mais a política monetária se for apropriado fazê-lo.”

Powell sinalizou que as autoridades do Fed esperam manter os juros estáveis ​​quando se reunirem de 12 a 13 de dezembro, dando-lhes mais tempo para avaliar a economia depois de aumentarem agressivamente a taxa básica, de perto de zero em março de 2022 para acima de 5% em julho. A desaceleração da economia dos EUA e a queda da inflação aumentaram as expectativas dos investidores de que o banco central americano poderia começar a cortar juros já em março ou maio.

“Depois de chegar tão longe, tão rapidamente, o FOMC está avançando com cuidado”, disse Powell no Spelman College, em Atlanta. “Os riscos de aperto insuficiente e excessivo estão se tornando mais equilibrados.”

O mercado de juros futuros americano já sinaliza cerca de 1,3 ponto percentual de flexibilização monetária para 2024, com um primeiro corte integralmente precificado em maio e quase 70% de chance de uma em março.

Confira as últimas notícias de Invest:

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Incêndio no Texas é tão grande que pode ser visto do espaço
Mundo

Incêndio no Texas é tão grande que pode ser visto do espaço

Há um dia

Câmara dos Representantes dos EUA aprova lei de gasto temporário para evitar shutdown
Mundo

Câmara dos Representantes dos EUA aprova lei de gasto temporário para evitar shutdown

Há 2 dias

PCE: índice de inflação nos EUA mantém queda e vai a 2,4% em janeiro
Economia

PCE: índice de inflação nos EUA mantém queda e vai a 2,4% em janeiro

Há 2 dias

Baixo crescimento do Brasil nas últimas décadas se deve a impostos e juros altos, diz Alckmin
Economia

Baixo crescimento do Brasil nas últimas décadas se deve a impostos e juros altos, diz Alckmin

Há 2 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais