Inadimplência sobe em agosto pelo segundo mês seguido, mostra Boa Vista SCPC (BOAS3)

O resultado do mês ocorre após o indicador da inadimplência apontar elevação de 1,1% em julho e soma o segundo avanço mensal consecutivo
Inadimplência volta a subir, indica Boa Vista SCPC (BOAS3) (Reprodução/Getty Images)
Inadimplência volta a subir, indica Boa Vista SCPC (BOAS3) (Reprodução/Getty Images)
Carlo Cauti
Carlo CautiPublicado em 09/09/2022 às 06:07.

A inadimplência no Brasil subiu 1,0% entre julho e agosto, segundos os dados dessazonalizados da Boa Vista SCPC (BOAS3) divulgados nesta sexta-feira, 9, com exclusividade pela EXAME.

O resultado do mês ocorre após o indicador da inadimplência apontar elevação de 1,1% em julho e soma o segundo avanço mensal consecutivo.

Na mesma série de dados, houve elevação de 7,0% na comparação do trimestre móvel encerrado em agosto contra o trimestre findado em maio.

Na série de dados originais, o aumento de 28,2% na comparação interanual acelerou a variação nos resultados acumulados.

Alta da inadimplência no acumulado do ano

No ano o crescimento do indicador da Boa Vista passou de 12,8% para 14,5%, enquanto em 12 meses ele chegou a 12,3%, ante 9,5% até o mês de julho.

A variação no mês de agosto reforça a ideia de que a queda observada no mês de junho fora pontual e a tendência é de que o indicador continue subindo, mesmo que num ritmo mais lento em comparação às fortes variações observadas no 1º semestre, especialmente, entre os meses de março e maio.

“A melhora nos números do mercado de trabalho, não só a queda na taxa de desemprego, mas o aumento da renda em nível também, contribui para que essa tendência de alta daqui em diante seja mais suave, tanto que o indicador tem apresentado variações mais tímidas nos últimos três meses” diz o economista da Boa Vista, Flávio Calife.

Recuperação de Crédito também aumenta, segundo a Boa Vista SCPC (BOAS3)

Já o Indicador de Recuperação de Crédito também avançou 1,0% na comparação mensal e 16,2% na comparação interanual, o que acelerou o ritmo de crescimento no ano de 9,4% até julho para 10,2% com os dados de agosto.

Na variação acumulada em 12 meses o crescimento também aumentou, passando de 6,4% para 7,3% entre os meses de julho e agosto.

“Essa foi a terceira alta consecutiva no indicador de recuperação, que continua crescendo na análise de longo prazo. Isso passa pelo crescimento que tem sido observado no número de registros de inadimplentes, dado que as famílias buscam resolver suas pendências, muito por meio de renegociações, para diminuírem as restrições de crédito num momento ainda delicado, embora ele pareça, pelo menos, ser melhor do que se esperava no começo do ano. Claro que parte disso se deve também à queda na taxa de desemprego, que tem sido contínua desde o final do 1º trimestre”, diz Flavio Calife.

O indicador de registro de inadimplência é elaborado a partir da quantidade de novos registros de dívidas vencidas e não pagas informados à Boa Vista pelas empresas credoras.

O indicador de recuperação de crédito é elaborado a partir da quantidade de exclusões dos registros de dívidas vencidas e não pagas informados anteriormente à Boa Vista pelas empresas credoras.