Ferrari tem lucro recorde no segundo trimestre de 2022

A casa automotiva italiana registrou uma alta de 22% no lucro líquido em relação ao mesmo período de 2021
Ferrari (Pierre Albouy/Reuters)
Ferrari (Pierre Albouy/Reuters)
Carlo Cauti
Carlo CautiPublicado em 03/08/2022 às 09:34.

A Ferrari divulgou nesta terça-feira, 3, os resultados do segundo trimestre de 2022.

A casa automotiva italiana registrou um lucro líquido de 251 milhões de euros (cerca de R$ 1,38 bilhão), alta de 22% em relação ao mesmo período do ano passado, quando tinha sido 206 milhões. Um resultado recorde para a Ferrari.

O faturamento entre abril e junho deste ano aumentou 24,9%, chegando a 1,29 bilhão de euros, com as entregas de carros que subiram 28,7%, para 3.455 unidades.

No primeiro semestre do ano, o faturamento foi de 2,44 bilhões, alta de 21% e o total de entregas de veículos foi de 6.706, alta de 23%.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) subiu 15%, chegando a 446 milhões de euros.

Por sua vez, o EBITDA semestral foi de 869 milhões de euros, alta de 14% na comparação anual.

Em termos de rentabilidade, o Ebitda sobe para 869 milhões (+ 14%), o Ebit para 630 milhões (+ 17%) e o lucro líquido para 490 milhões (+ 19%).

Segundo Benedetto Vigna, CEO da Ferrari, a casa italiana continua "uma fase de forte crescimento, com resultados trimestrais recordes".

Um grande impulso para os resultados veio da região asiática, com China Continental, Hong Kong e Taiwan que aumentaram de 115,7% as entregas de carros, que chegaram em 358 unidades.

As compras nas Américas subiram 62,2%, para 1.053 unidades.

Ferrari revisa positivamente as previsões para 2022

Com os números desse trimestre, a Ferrari revisou positivamente as estimativas para o final do ano, "graças a uma maior contribuição das customizações, bem como a um efeito cambial positivo".

A receita líquida deverá agora ficar em torno de 4,9 bilhões de euros (contra cerca de 4,8 bilhões de euros na estimativa anterior), o EBITDA ajustado é esperado entre 1,7 e 1,73 bilhão de euros (de 1,65-1,7 bilhão de euros previstos anteriormente) com uma margem acima de 35% (de uma margem entre 34,5 % e 35,5%).

A Ferrari também anunciou que está "avançando continuamente na jornada da eletrificação".

Segundo Vigna, a Ferrari “está muito bem posicionada para enfrentar a transição tecnológica. A eletrificação representa uma grande oportunidade para respondermos às necessidades dos clientes e continuarmos a criar Ferrari únicos".

O primeiro modelo totalmente elétrico da Ferrari deverá ser apresentado em 2025.