Acompanhe:

Elon Musk conclui compra do Twitter e demite executivos do alto escalão

A intenção de Musk é tornar o Twitter uma companhia privada, movimento incentivado pelo fundador da companhia, Jack Dorsey

 (Noam Galai/GC Images/Getty Images)

(Noam Galai/GC Images/Getty Images)

E
Estadão Conteúdo

28 de outubro de 2022, 06h33

O bilionário Elon Musk concluiu na noite desta quinta-feira, 27, a compra do Twitter após seis meses de negociações com a rede social. A compra foi finalizada por US$ 44 bilhões, informam os veículos Washington Post, Insider e CNBC.

Quer receber os fatos mais relevantes do Brasil e do mundo direto no seu e-mail toda manhã? Clique aqui e cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.

O primeiro ato de Musk como proprietário do Twitter foi demitir os principais executivos do alto escalão da companhia: o então presidente executivo, Parag Agrawal; o chefe financeiro, Ned Segal; e Vijaya Gadde, chefe do Departamento Jurídico, Políticas e Confiabilidade.

De acordo com a Bolsa de Nova York (NYSE), a negociação de ações do Twitter já está suspensa e não vai mais aparecer no pregão. A intenção de Musk é tornar o Twitter uma companhia privada, movimento incentivado pelo fundador da companhia, Jack Dorsey.

"A razão pela qual adquiri o Twitter é porque é importante para o futuro da civilização ter uma ‘praça pública digital’, onde uma ampla gama de crenças possa ser debatida de maneira saudável sem recorrer à violência", explicou o Musk, em carta para o mercado publicitário publicada no Twitter na manhã desta quinta.

LEIA TAMBÉM: