Dívida pública de El Salvador em Bitcoin não atrai investidores

Investimento do governo em iniciativas atreladas a criptomoedas são recebidas com ceticismo pelo mercado
Bitcoin: Iniciativa de títulos em El Salvador não atrai investidores (Anadolu Agency / Colaborador/Getty Images)
Bitcoin: Iniciativa de títulos em El Salvador não atrai investidores (Anadolu Agency / Colaborador/Getty Images)
T
Tales RamosPublicado em 03/05/2022 às 18:44.

A primeira emissão de títulos da dívida pública de El Salvador em Bitcoin não atraíram um único investidor.

O governo de El Salvador, liderado pelo excêntrico presidente Nayib Bukele, pretendia levantar US$ 1 bilhão (cerca de R$ 5,10 bilhões) em títulos emitidos em Bitcoin. Levantou um total de zero.

Metade dos dólares arrecadados com o título seriam usados para comprar mais Bitcoin.

Veja mais:

A a outra metade seria usada para criar infraestrutura de energia e de mineração de Bitcoin.

Os títulos da dívida pública de El Salvador iriam render 6,5% ao ano, com vencimento em 10 anos.

Só que com esse fiasco na alocação da dívida em Bitcoin, os mercados estão muito mais nervosos com as contas públicas de El Salvador.

Agora, os títulos convencionais da dívida pública de El Salvador, ou seja, emitidos em dólares, com vencimento em 2023, estão rendendo 24%.

Um crescimento dos juros fora do comum, que estão causando insegurança no mercado, que o considera um investimento de alto risco e, por isso, já se prepara para um calote do país da América Central.

No entanto, o ministro das Finanças de El Salvador disse recentemente que há "risco zero" de inadimplência.

Dívida de El Salvador foi a que mais perdeu valor

Segundo a Bloomberg, o valor dos títulos de El Salvador caiu mais que qualquer outro país, com exceção da Ucrânia, que é afetada pela invasão da Rússia.

Em novembro do ano passado, o presidente Bukele estreou seu plano para emitir títulos da dívida pública em Bitcoin. Naquele momento, a dívida pública de El Salvador em dólares já começou seu processo de desvalorização.

Lembrando que mais uma dívida perde valor, mais os juros sobem.

Em fevereiro, a agência de classificação de risco Fitch Ratings rebaixou o rating de El Salvador para CCC, apontando riscos em sua crescente dependência de dívidas de curto prazo e limitação das fontes de financiamento.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) já tinha criticado a intenção de Bukele de tornar o Bitcoin moeda de curso legal em El Salvador, e pediu ao governo que reconsiderasse sua dependência da criptomoeda.