Controlador da Nasdaq cria disputa entre CME Group e ICE

Objetivo é avaliar quem fará a melhor oferta para adquirir ou se unir a bolsa eletrônica; anúncio oficial pode sair em duas semanas
Controlador da Nasdaq busca parceria após acordo entre a NYSE Euronext e a Deutsche Börse (Daniel Barry/Getty Images)
Controlador da Nasdaq busca parceria após acordo entre a NYSE Euronext e a Deutsche Börse (Daniel Barry/Getty Images)
M
Marcel SalimPublicado em 26/02/2011 às 19:04.

São Paulo – Diante da onda global de fusões e aquisições entre as principais bolsas de valores do mundo, mais um anúncio pode ser concretizado nas próximas duas semanas. O Nasdaq OMX Group está desesperado em busca de um parceiro e, para conquistar uma boa oferta, está colocando o CME Group, dono da Bolsa Mercantil de Chicago, contra a IntercontinentalExchange (ICE).

O objetivo é averiguar quem pode dar o melhor tiro ou oferta para conquistar a bolsa de tecnologia Nasdaq, rival da NYSE Euronext, a bolsa de valores de Nova York, segundo informaram neste sábado (26) fontes ligadas à negociação ao The Wall Street Journal.

O Nasdaq OMX Group vem lutando para encontrar um parceiro desde que a NYSE Euronext adquiriu a Deutsche Börse, a bolsa de valores de Frankfurt, em uma transação avaliada em 10 bilhões de dólares. De acordo com a reportagem, a intenção do Nasdaq OMX Group é procurar um aliado e não fazer aquisições, isso porque o operador da bolsa eletrônica não possui poder de compra que possa superar a oferta feita pela NYSE Euronext para a Deutsche Börse.

Os executivos do Nasdaq OMX Group estão avaliando agora qual é o melhor parceiro para se unir e dar o melhor tiro contra os negócios da NYSE Euronext pelo menor preço possível. Enquanto a procura continua, tanto o CME Group como a ICE não deram sinais de que pretendem fechar um negócio.

Possibilidades

Os executivos da ICE são os que se mostram mais abertos a um possível acordo com o controlador da Nasdaq, isso porque seu negócio de derivativos na Europa foi prejudicado após a compra da Euronext pela NYSE em 2007. Jeffrey Sprecher, executivo-chefe da IntercontinentalExchange, já lançou em 2007 uma tentativa mal sucedida de oferta para adquirir a bolsa de Chicago, mas perdeu o negócio para o CME Group.


O controlador da Bolsa Mercantil de Chicago também está avaliando vários cenários de aquisição, mas nenhuma oferta deve ser anunciada no momento, segundo afirmaram as fontes. Na sexta-feira (25), o presidente-executivo do CME, Terry Duffy, disse em entrevista à CNBC que a empresa continua a "analisar operações diferentes ao redor do mundo", mas que o objetivo principal neste momento é crescer por conta própria.

Porta-vozes de todas as empresas se recusaram a comentar a reportagem do The Wall Street Journal.

União entre Nasdaq e NYSE Euronext

Se o Nasdaq OMX Group encontrar uma forma de unir seus negócios com a NYSE Euronext, a bolsa eletrônica Nasdaq se tornaria dominante nos Estados Unidos, junto com a bolsa de valores de Nova York, acabando assim com a “fama de perdedora”, disseram as fontes.

Certamente o acordo poderia não ser concluído por conta das barreiras antitruste. Contudo, os funcionários da Nasdaq poderiam argumentar que o negócio seria melhor para os Estados Unidos do que a NYSE ser vendida para uma empresa da Alemanha.

Se a Nasdaq decidir ir contra esta tentativa, os executivos terão que analisar mais amplamente as opções de acordo que, por sua vez, poderiam resultar tanto em outras aquisições como na venda da bolsa eletrônica para outra empresa, informa o The Wall Street Journal.

Entre as opções, o Nasdaq OMX Group tem ainda a compra da Chicago Board Options Exchange, controlada pela CBOE Holdings, ou a venda da bolsa eletrônica para a ICE, disseram as fontes citadas pelo periódico.