Cogna Day, Focus pós-Copom, inflação no G7 e o que move o mercado

Em semana de reunião do Fed e do BCE, ministros de finanças do G7 se reúnem para discutir os choques de oferta que estão pressionando a inflação global
Janet Yellen, secretária do Tesouro dos Estados Unidos, com Mathias Cormann, secretário-geral da OCDE, durante encontro de ministros de finanças do G7 em Londres | Foto: Hollie Adams/Bloomberg (Bloomberg/Hollie Adams)
Janet Yellen, secretária do Tesouro dos Estados Unidos, com Mathias Cormann, secretário-geral da OCDE, durante encontro de ministros de finanças do G7 em Londres | Foto: Hollie Adams/Bloomberg (Bloomberg/Hollie Adams)
Por Da RedaçãoPublicado em 13/12/2021 06:51 | Última atualização em 13/12/2021 06:50Tempo de Leitura: 3 min de leitura

A semana começa com a inflação mais uma vez no centro das atenções de investidores: ministros de Finanças do G7 (grupo que reúne sete das maiores economias do mundo) se reúnem de forma virtual e emergencial para discutir as pressões sobre os preços no mundo.

O encontro acontece na semana que terá a última reunião do ano dos principais bancos centrais do mundo, em meio à expectativa de sinalização ou até anúncio de medidas para redução da liquidez nos mercados: Federal Reserve, o Fed, na quarta; o Banco Central Europeu (BCE) e o Bank of England na quinta; e o Bank of Japan na sexta.

Em meio à agenda da inflação e da política monetária, bolsas europeias e futuros dos índices americanos, como o S&P 500 e a Nasdaq, operam em alta na manhã desta segunda-feira, dia 13. O dólar também opera em leve alta contra outras moedas pela manhã.

Saiba o que vai movimentar os mercados na semana que começa. Leia gratuitamente o relatório Spoiler Macro

No Brasil, sai nesta manhã o primeiro boletim Focus desde que o mercado tomou conhecimento do tom mais hawkish do Banco Central na comunicação sobre a condução da política monetária e desde que o IPCA de novembro surpreendeu analistas ao vir abaixo do esperado.

No campo corporativo, seguem os encontros anuais de empresas com investidores. Hoje pela manhã, das 9h às 12h30, será a vez do maior grupo de educação do país, a Cogna (COGN3), se reunir com analistas e investidores.

Veja a seguir os principais índices de ações às 5h50 de Brasília:

  • STOXX 600 (Europa): +0,66%
  • FTSE 100 (Londres): +0,18%
  • DAX (Frankfurt): +1,04%
  • CAC 40 (Paris): +0,51%
  • Futuro do S&P: +0,34%
  • Futuro do Dow Jones: +0,32%
  • Futuro da Nasdaq: +0,38%
  • Nikkei (Tóquio): +0,71%

Veja a seguir os destaques desta segunda-feira:

Reunião de finanças do G7

Segundo a Bloomberg, as conversas em conferência virtual de ministros de Finanças dos países do G7, como a secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, terão como pano de fundo problemas nas cadeias de suprimentos (supply chain) que têm prejudicado a atividade econômica em todo o mundo. Os ministros das sete maiores economias do planeta também vão falar sobre a situação sanitária, de acordo com fontes consultadas pela agência.

Focus pós-Copom

O que vai prevalecer sobre as expectativas de inflação para 2022 e 2023? O tom mais duro (hawkish) do Banco Central adotado no comunicado junto com a decisão da última reunião do Copom, na quarta-feira, dia 8, ou a inflação oficial ao consumidor (IPCA) abaixo do esperado em novembro, que saiu na sexta, dia 10. O boletim Focus sai às 8h25.

Cogna Day

O maior grupo de educação do país realiza nesta manhã o seu encontro anual com investidores, com a expectativa de atualização de seus planos de médio e longo prazo para os próximos anos relacionados tanto com a Kroton, a sua divisão voltada para o ensino superior, como da Vasta Educação (VSTA), a sua empresa de soluções e serviços digitais voltada para escolas do ensino básico.

Na última sexta, as ações da Cogna (COGN3) fecharam em alta de 11,97%, depois de boatos no mercado de que Vasta seria negociada. As ações da Vasta dispararam 52,49% na Nasdaq, mas recuaram no after market.