Bradesco (BBDC4): após alta de 19%, o que esperar do resultado do 4º tri

Segundo maior banco privado do país divulga balanço trimestral depois do fechamento do mercado; ações têm sido um dos alvos de investidores estrangeiros
Agência do Bradesco: segundo maior banco privado do país apresenta resultados do quarto trimestre | Foto: Paulo Fridman/Bloomberg (Paulo Fridman/Bloomberg)
Agência do Bradesco: segundo maior banco privado do país apresenta resultados do quarto trimestre | Foto: Paulo Fridman/Bloomberg (Paulo Fridman/Bloomberg)
Por Da RedaçãoPublicado em 08/02/2022 07:08 | Última atualização em 08/02/2022 07:22Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Esta reportagem faz parte da newsletter EXAME Desperta. Assine gratuitamente e receba todas as manhãs um resumo dos assuntos que serão notícia.

O Bradesco (BBDC4) apresenta nesta terça-feira, dia 8, depois do fechamento do mercado, o seu resultado no quarto trimestre de 2021. A dúvida entre analistas é se os números vão confirmar a expectativa amplamente positiva que predominava até uma semana atrás ou se vão mostrar que as dificuldades reveladas pelo Santander (SANB11) não foram exceção no setor bancário.

O segundo maior banco privado do país tem sido um dos destaques do início de ano na bolsa, como um dos alvos preferidos de investidores estrangeiros que estão ingressando com bilhões de reais para comprar blue chips. A valorização acumulada de 2022 é de 18,9%, com a ação negociada a 22,85 reais no fechamento ontem.

Segundo analistas de Equity Research do BTG Pactual (BPAC11) em relatório no mês passado, o Bradesco deve reportar um lucro líquido de 6,9 bilhões de reais de outubro a janeiro de 2021, o que seria um avanço de 1,5% ante o terceiro trimestre. É uma estimativa em linha com o consenso de mercado, que aponta lucro de 6,8 bilhões de reais. O retorno sobre o patrimônio (ROE, na sigla em inglês) deve ter ficado em 18,3%.

Três destaques esperados pelos analistas do BTG Pactual:

  • Receitas crescendo acima da inflação
  • Expansão da carteira de crédito em dois dígitos
  • Recuperação dos negócios do segmento de seguros

Não perca a CEO Conference: grandes personalidades da política, dos negócios e da economia reunidas para debater as transformações de 2022. Veja como participar

Mas a cautela aumentou com os números do Santander.

Na quarta da semana passada, dia 2, o banco espanhol divulgou números que ficaram aquém das projeções do mercado. O lucro no período ficou em 3,88 bilhões de reais, ou 10,6% abaixo do trimestre imediatamente anterior. No mercado, as estimativas apontavam para um ganho de 4,3 bilhões de reais no período.

As receitas com serviços decepcionaram, a inadimplência de pessoas físicas (atrasos de 90 dias ou mais) cresceu de 3,3% para 3,6%, e as despesas subiram. A boa notícia é que a margem financeira teve leve melhora, passando de 10,3% no terceiro trimestre para 10,4% no quarto.

Ainda assim, a reação do mercado não foi positiva: as units do Santander recuaram 3% no dia da divulgação, que ocorreu antes da abertura do mercado.

Na quinta-feira, dia 10, será a vez de o Itaú (ITUB4) divulgar o seu balanço, depois do fechamento do mercado.