Invest

B3 (B3SA3) anuncia seu novo horário de negociações

A bolsa informou que o pregão regular para o mercado local de ações vai ter um novo funcionamento a partir do dia 11 de março

Painel da B3, a bolsa de valores brasileira (Germano Lüders/Exame)

Painel da B3, a bolsa de valores brasileira (Germano Lüders/Exame)

Janize Colaço
Janize Colaço

Repórter de Invest

Publicado em 24 de janeiro de 2024 às 14h14.

Última atualização em 24 de janeiro de 2024 às 14h23.

A B3 (B3SA3), a bolsa de valores do Brasil, anunciou novidades em seu horário de funcionamento. A partir de 11 de março, a negociação dos contratos e minicontratos futuros do Ibovespa vão ocorrer até às 18h25, e dos contratos e minicontratos futuros de dólar comercial, até às 18h30.

O novo horário de negociações do mercado não é exatamente uma novidade. Isso porque a bolsa de valores brasileira já costumava ter 1 hora a mais durante o horário de verão nos Estados Unidos — entre os meses de novembro e março.

“O objetivo é proporcionar aos investidores mais tempo para negociar os produtos e integra os esforços da B3 para facilitar o acesso ao mercado de capitais”, diz a bolsa em comunicado.

Que horas vai abrir e fechar a bolsa de valores?

O horário de negociação no mercado à vista começa às 10h e encerra às 17h55. A pré-abertura ocorre entre 9h45 e 10h, enquanto o after-makert será entre 18h25 e 18h45. Este funcionamento já era praticado durante o horário de verão americano e, agora, será mantido em vigor na totalidade do ano.

O que é o Ibovespa?

O Índice Bovespa foi criado em 2 de janeiro de 1968. Antes do Ibovespa, as cotações das ações eram negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (SPSE). A SPSE buscava criar um índice que fosse uma boa representação das ações mais negociadas na bolsa, com algumas mudanças metodológicas para considerar o pagamento de dividendos, desdobramentos etc.

Qual a importância do Ibovespa?

O Índice Bovespa é importante por diversas razões, entre elas:

  • Medir o desempenho histórico do mercado;
  • Utilização como benchmarks, onde os gestores de fundos podem medir seu desempenho;
  • Calcular o risco sistemático e o custo do capital próprio das empresas;
  • Refletir os sentimentos dos investidores;
  • Aumentar a visibilidade das empresas que o compõem;
  • Representam a saúde econômica em diversos setores.

Confira as últimas notícias de Invest:

Acompanhe tudo sobre:Ibovespabolsas-de-valoresAções

Mais de Invest

IBM lucra mais no 1º trimestre, mas receita decepciona

Ford amplia receita no primeiro trimestre; lucro cai para US$ 1,3 bilhão

Teto de juros do consignado do INSS cairá para 1,68% ao mês

Magazine Luiza (MGLU3) cai à mínima do ano em dia de AGO sobre grupamento de ações

Mais na Exame