Invest

Ata do Fed, balanço de Nvidia, Haddad e dados fiscais: o que move o mercado

Mercados operam em tom mais cauteloso nesta manhã, à espera, principalmente, da ata do Fed nos Estados Unidos

Radar: ata do Fed é o principal destaque da agenda desta quarta-feira, 22 (Brendan Mcdermid/Reuters)

Radar: ata do Fed é o principal destaque da agenda desta quarta-feira, 22 (Brendan Mcdermid/Reuters)

Rebecca Crepaldi
Rebecca Crepaldi

Repórter de finanças

Publicado em 22 de maio de 2024 às 08h41.

Os mercados internacionais operam majoritariamente em queda na manhã desta quarta-feira, 22. As bolsas asiáticas fecharam sem direção única, enquanto as da Europa caem. Nos Estados Unidos, os índices futuros operam em baixa, assim como o Ibovespa futuro. O tom mais cauteloso no mercado se dá à espera da Ata do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA).

Ata do Fed

O destaque de hoje é a divulgação da Ata do Fed na tarde desta quarta-feira, 22. Investidores estão de olho em mais sinais sobre a trajetória dos juros americanos. As expectativas, até então, é que o início do corte de juros comece em setembro. Entretanto, falas recentes de dirigentes locais apontam para uma maior cautela sobre os cortes, já que, em suas análises, ainda é cedo para dizer que a inflação se move de forma sustentável para a meta de 2%.

Na última reunião do Federal Open Market Comittee (Fomc, comitê de política monetária americano), o Fed decidiu manter pela sexta vez consecutiva os juros inalterados na faixa entre 5,25% e 5,5% ao ano. Apesar do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos Estados Unidos de abril ter mostrado uma desaceleração frente a março (0,3% versus 0,4%), integrantes do Fed ainda avaliam que é preciso mais confiança na continuidade do processo de desinflação.

Balanço de Nvidia (NVDC34)

Na reta final da temporada de balanços, Nvidia (NVDC34) divulga seus resultados do primeiro trimestre de 2024. O último balanço da companhia, do 4T23, mexeu com diversos mercados internacionais. Na esteira da inteligência artificial, a companhia reportou números recordes, o que animou investidores americanos e, consequentemente, impactou as bolsas ao redor do mundo que seguiram o rali do otimismo.

Para agora, segundo estimativas dos analistas compiladas pelo FactSet, a receita esperada para o primeiro trimestre deve ficar em US$ 24,5 bilhões, o que representaria uma alta de quase 11% frente a receita anterior de US$ 22,1 bilhões. Em março, a companhia revelou seu novo chip, o Blackwell, o que também pode impactar o mercado. Segundo o Quartz, depois de anunciar seu novo chip, a Nvidia disse que Microsoft e Google já "estão na fila" para comprar o dispositivo à medida que desenvolvem projetos de inteligência artificial.

Dados fiscais e Haddad

Por aqui, haverá a divulgação do relatório bimestral de avaliação de receitas e despesas do governo brasileiro. Ontem, a Receita Federal divulgou que a arrecadação federal de abril bateu um recorde para o mês de R$ 228,8 bilhões. Com isso, a receita acumulada dos quatro primeiros meses soma um recorde de R$ 886,6 bilhões, o que representa um crescimento de 8,3% em termos reais (já descontada a inflação).

Às 9h, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, participa de audiência pública da Comissão de Finanças e Tributação da Câmara sobre a política econômica do país, o que também deve concentrar as atenções dos investidores. Ainda na alçada do ministro, Haddad afirmou que o segundo projeto de lei complementar que regulamenta a reforma tributária deve ser enviado ao Congresso antes do feriado de Corpus Christi.

Acompanhe tudo sobre:Ibovespabolsas-de-valoresFed – Federal Reserve SystemJurosEstados Unidos (EUA)Fernando HaddadOrçamento federalNvidia

Mais de Invest

Mega-Sena acumulada: quanto rendem R$ 93 milhões na poupança

Receita paga R$ 8,5 bi de restituição do IR esta semana; veja quem recebe

Quanto rende R$ 10 milhões a 120% do CDI?

Auxílio Reconstrução: moradores do RS podem se cadastrar no programa até terça-feira

Mais na Exame