Invest

Arcabouço fiscal, alívio nos bancos globais, retomada do consignado e o que mais move os mercados

Ministro Fernando Haddad faz hoje mais uma reunião com o ministro da Casa Civil, Rui Costa, sobre a proposta para torná-la pública ainda esta semana

Painel de cotações na B3: Ibovespa saltou 1,5% no último pregão (Germano Lüders/Exame)

Painel de cotações na B3: Ibovespa saltou 1,5% no último pregão (Germano Lüders/Exame)

Publicado em 29 de março de 2023 às 07h32.

Última atualização em 29 de março de 2023 às 07h45.

O dia D para o arcabouço fiscal está se aproximando. Hoje o ministro Fernando Haddad faz mais uma reunião com o ministro da Casa Civil, Rui Costa, sobre a proposta. O encontro deve ser conclusivo e o novo marco fiscal deve se tornar público ainda esta semana. Essa expectativa animou o mercado ontem, fazendo o Ibovespa não só voltar ao patamar dos 100 mil pontos, como superá-lo, marcando 101.185 pontos. 

Lá fora, os mercados asiáticos avançaram com as novidades do grupo Alibaba, que anunciou a separação de seus negócios em seis unidades e pode fazer IPO deles. A bolsa de Hong Kong subiu 2,06%. A alta de 1,54% do minério de ferro em Dalian também impulsionou as bolsas.

Na Europa, o bom humor vem pelo alívio na crise do setor bancário. Em Zurique, a alavanca para as ações do UBS e do Credit Suisse é a notícia de que Sergio Ermotti vai voltar a ser CEO do UBS. Ele dirigiu o banco por nove anos. Nos futuros americanos a fotografia dessa manhã também era de otimismo.

Desempenho dos indicadores próximo às 7h (de Brasília)

  • Dow Jones futuro (Nova York): + 0,79%
  • S&P 500 futuro (Nova York): + 0,94%
  • Nasdaq futuro (Nova York): + 0,92%
  • DAX (Frankfurt): +0,76%
  • CAC 40 (Paris): +1,24%
  • FTSE 100 (Londres): +0,73%%
  • Stoxx 600 (Europa): +0,85%
  • Hang Seng (Hong Kong): +2,06%

Quais os balanços do dia?

A temporada de balanços do quarto trimestre chega a sua última semana. São sete os balanços nesta quarta-feira. Veja a lista:

Veja também

Retomada do consignado

O Bradesco e a Caixa Econômica Federal anunciaram ontem que devem voltar a operar normalmente a linha de crédito consignado do INSS – a Caixa já ontem e o Bradesco a partir de hoje. A decisão ocorre após o Conselho Nacional de Previdência Social (CNPS) aprovar o aumento da taxa do desconto em folha para 1,97%. Já os juros para o cartão consignado serão de 2,89%.

O empréstimo consignado estava suspenso há 13 dias, após o ministro da Previdência, Carlos Lupi, ter aprovado no CNPS redução do teto dos juros de 2,14% ao mês para 1,70%. 

Como o Ibovespa fechou no último pregão?

O Ibovespa manteve a toada de recuperação e subiu 1,5% na terça-feira, 28, para para 101.185 pontos. O movimento ocorreu na contramão do exterior, com investidores avaliando a ata da última reunião do Copom, divulgada hoje mais cedo, e de olho na divulgação do arcabouço fiscal. Na bolsa, as commodities avançaram e ajudaram a manter o índice no positivo.

Acompanhe tudo sobre:Ibovespabolsas-de-valoresAçõesCrédito consignadoBalanços

Mais de Invest

‘Independência financeira liberta’: Women in Finance discute gestão patrimonial para mulheres

Bancos centrais compram um quinto do ouro do mundo e querem aumentar aposta

Quina de São João: veja os números mais sorteados da história

Ibovespa sobe e recupera os 120 mil antes de decisão do Copom; dólar bate máxima em 18 meses

Mais na Exame