Acompanhe:

A industria de fundos de investimentos é gigante e, dentro dela, o Fundo de Investimentos em Participações é um dos menos conhecidos dos investidores.

Nesse sentido, hoje você irá entender quais são esses fundos, como eles investem e como você pode investir nessa modalidade pouco difundida no mercado.

O que são Fundos de Investimento em Participações?

Os denominados Fundos de Investimento em Participações são aqueles que tem como foco o investimento em empresas, independente se são de capital aberto, isto é, negociadas em bolsa, ou de capital fechado.

Como o próprio nome do fundo sugere, as empresas que o fundo investe é com foco em ter participação, ou seja, ele compra, no mínimo, 90% do seu patrimônio nas empresas em que decide investir.

Importante lembrar, que essa modalidade de fundo se enquadra na classificação de fundo fechado, o que faz com que suas cotas só possam ser resgatadas no momento de encerramento ou após deliberação de liquidação do fundo.

Como os FIPs funcionam?

Para entender o funcionamento de um Fundo de Investimento em Participações, é necessário recorrer à Instrução CVM 578/2016, a qual dispõe sobre todas as características dessa modalidade de fundo.

Inicialmente, com vistas a angariar recursos, os FIPs disponibilizam os documentos e todas as informações de como irá alocar os valores e, dessa maneira, inicia o processo de captação de cotistas no mercado.

A alocação do patrimônio do fundo é realizada por meio de compra de todos os tipos de títulos que empresas podem emitir, ou seja, desde ações até ativos de dívida como debêntures simples.

Importante frisar, que por regulação, a composição dos FIPs deve ser de no mínimo 90% nessas modalidades de ativos, podendo investir, para chegar a esse percentual, em outros FIPs e em fundos de ações negociados no mercado.

Além disso, essa classe de fundos não tem a permissão da Comissão de Valores Mobiliários para operar com derivativos, sendo apenas liberado no caso de proteção ou quando forem utilizadas opções para ajuste de preços das ações que estão no fundo.

Quais são os tipos de FIPs?

De maneira geral, existem 4 tipos de Fundos de Investimento em Participações. Essa classificação está presente dentro do próprio site da B3.

A seguir, você irá conhecer um pouco de cada um dos tipos de FIPs existentes no mercado brasileiro.

FIP Capital Semente

Nessa modalidade, o fundo poderá comprar aquelas empresas que se enquadram dentro de uma receita bruta anual de até R$ 16 milhões

Essa é, sem dúvidas, a classe de FIP com maior risco, mas em contrapartida, é a que possui o maior potencial de retorno.

FIP Empresas Emergentes

Já no caso do FIP de Empresas Emergentes, a régua para a receita bruta anual sobe para até R$ 300 milhões. 

Aqui se enquadram empresas maiores que as anteriores, porém ainda com um certo nível de risco e boas possibilidades de retorno.

Infraestrutura (FIP-IE) e FIP Produção Econômica intensiva em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (FIP-PD&I)

Aqui, o foco é em empresas ligadas ao setor de infraestrutura, que tenham como foco a pesquisa e o desenvolvimento de áreas cruciais para o desenvolvimento do país, como saneamento e transportes.

Nessa modalidade, são necessários pelo menos 5 cotistas e, nenhum deles poderá possuir mais de 40% do FIP.

FIP Multiestratégia

Todos os ativos que não se enquadram em um dos tipos de FIPs citados acima são englobados dentro da classe de FIP Multiestratégia.

Dessa maneira, essa modalidade permite alocação empresas de diferentes tamanhos e, ainda, a possibilidade de alocação no exterior.

Porém, caso o FIP aplique recursos no exterior, automaticamente estará disponível apenas aos investidores profissionais, ou seja, que possuem e atestam patrimônio acima de R$10 milhões.

Quais são as vantagens de investir em FIPs?

Investir por meio de Fundos de Investimento em Participações possibilita aos investidores vantagens como elevado potencial de retorno, dado o risco, além de ser um excelente veículo de benefício fiscal.

No que diz respeito ao benefício fiscal, no caso dos FIPs que tem como foco o setor de infraestrutura, o investidor não pagará imposto de renda sobre sua rentabilidade, o que é um grande atrativo, quando aliado ao alto potencial de retorno.

Além disso, as vantagens não são apenas para os investidores, para as empresas que o fundo compra também existem.

A principal delas é a possibilidade de captação de recursos com maior facilidade, principalmente para aquelas empresas menores que ainda não conseguem emitir dívida e muito menos acessar o mercado de ações por meio de IPO.

Por fim, a maior vantagem dessa modalidade é, com certeza, o fomento à economia, já que a partir de seus aportes as empresas conseguem ganhos de eficiência e entregam produtos cada vez melhores e com menores preços à sociedade.

Como investir em FIPs?

Como ocorre em qualquer modalidade de investimentos, o primeiro passo é realizar a abertura de conta em um corretora de valores mobiliários.

Com a conta aberta, é hora de estudar sobre os FIPs, entender como cada um deles está pensando em alocar os recursos captados e acessar o home broker.

Com o home broker aberto e o FIP escolhido, o processo de compra é semelhante ao de uma ação ou de um fundo imobiliário, onde é necessário apenas colocar o código, definir a quantidade e enviar a ordem de compra. 

Exemplos de FIPs listados

Dentro da B3, a bolsa de valores brasileira, existem em 2024 18 Fundos de Investimento em Participações listados e disponíveis para compra, estão:

  1. AATH: ATHON ENERGIA ESG I FDO INV PART EM INFRAESTRUTURA;
  2. AZIN: AZ QUEST INFRA-YIELD II FIP IE;
  3. BRZP: BRZ INFRA PORTOS FDO, INV. EM PART. INFRAESTRUTURA;
  4. BDIV: BTG PACTUAL IE DIV. FDO INV. PART. IE
  5. XPIE: XP INFRA II FDO DE INV PART IE
  6. FPOR: PORTO SUDESTE ROYALTIES – FIP-IE
  7. VIGT: VINCI ENERGIA FDO INV PART IE
  8. ENDD: ENDURANCE DEBT FDO. INVEST. PART. INFRA.
  9. ESUT: FDO INV PART IE BB VOTORANTIM ENERG SUSTENT III;
  10. OPEQ: INVESTIDORES INSTITUCIONAIS FDO INV PART MULTIESTR
  11. ESUD: FDO INV PART IE BB VOTORANTIM ENERG SUSTENT II
  12. PPEI: PRISMA PROTON ENERGIA FDO. INVEST. PART. INFRA.;
  13. PFIN: PERFIN APOLLO ENERGIA FIP EM INFRAESTRUTURA
  14. KNOX: KNOX DEBT FDO. INVEST. PART. INFRAESTRUTURA
  15. PICE: PATRIA INFRAESTRUTURA ENERGIA CORE FIP INFRA
  16. ESUU: FDO INV PART IE BB VOTORANTIM ENERG SUSTENT I
  17. NVRP: FDO INV PART NOVA RAPOSO – MULTIESTRATEGIA
  18. OPHF: OPPORTUNITY HOLDING FDO INV PART MULT INV NO EXT

Todos esses Fundos de Investimento em Participações estão disponíveis dentro do home broker da sua corretora e podem ser adquiridos do mesmo modo que a compra de uma ação.

Você quer saber mais a respeito de investimentos, finanças pessoais e negócios? Então leia os nossos outros artigos abaixo:

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Como investir em dólar? Descubra as 4 melhores formas de investir em dólar
seloGuia de Investimentos

Como investir em dólar? Descubra as 4 melhores formas de investir em dólar

Há 3 dias

Capex e Opex: O que é? Quais são as diferenças? Como analisar?
seloGuia de Investimentos

Capex e Opex: O que é? Quais são as diferenças? Como analisar?

Há 4 dias

O que é taxa DI? saiba tudo sobre como calcular, como funciona e a importância
seloGuia de Investimentos

O que é taxa DI? saiba tudo sobre como calcular, como funciona e a importância

Há 5 dias

Melhor investimento em renda fixa para 2024: entenda tudo sobre a renda fixa e suas oportunidades
seloGuia de Investimentos

Melhor investimento em renda fixa para 2024: entenda tudo sobre a renda fixa e suas oportunidades

Há uma semana

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais