O que são e como funcionam os fundos de ações?

Entenda como funcionam os fundos de investimento que aplicam em ações da bolsa
Entenda como funcionam os fundos de investimento que aplicam em ações da bolsa (Germano Lüders/Exame)
Entenda como funcionam os fundos de investimento que aplicam em ações da bolsa (Germano Lüders/Exame)
D
Da Redação

Publicado em 17/12/2020 às 17:04.

Última atualização em 30/07/2021 às 15:15.

Todo investidor que começa a investir em ações se depara com o dilema clássico: como escolher os papeis que vão compor a carteira? Por isso, investidores iniciantes ou investidores com pouco tempo disponível podem contar com a ajuda de um gestor especializado para administrar o portfólio de ações. Isso é feito principalmente nos fundos de ações.

O que são fundos de ações?

Um fundo de ações é um fundo de investimento constituído com o objetivo de investir a maior parte do seu patrimônio nessa classe de ativo. Eles são voltados para investidores com perfil mais arrojado, porque apresentam mais riscos e maior volatilidade nos ativos. Por outro lado, o potencial de retorno é mais alto também. 

Pela regra, esses fundos devem aplicar pelo menos dois terços do patrimônio em ações. A fatia restante do portfolio pode ser investida em outros ativos, como os de renda fixa, dependendo da estratégia do fundo.

Quer aplicar em fundos de ações? Aprenda do zero e comece agora!

Como funcionam os fundos de ações

Um fundo de ações funciona da mesma forma que outros fundos de investimento. Primeiro, uma instituição financeira cria o fundo, definindo seus objetivos, depois, os investidores compram suas cotas e, por fim, um gestor monta a carteira de investimentos seguindo sua estratégia para maximizar os ganhos.

O gestor é o especialista que vai analisar os riscos das aplicações e fazer as operações. 

O que faz um gestor de fundos de ações?

A gestão de um fundo de ações pode ser passiva ou ativa. Enquanto a primeira tem o objetivo de replicar um índice de referência como o Ibovespa ou o Índice Small Caps, a gestão ativa é feita por um profissional com uma estratégia de investimentos.

As estratégias mais comuns são a de operar comprado ou vendido - sim, também é possível ganhar dinheiro quando as ações estão em baixa.

Ao operar comprado, o objetivo do gestor é comprar uma ação por um preço baixo para ganhar com a sua valorização. Quando a estratégia é operar vendido, o gestor busca lucrar com uma baixa no mercado.

Essa dinâmica dá aos gestores de fundo mais ferramentas para tentar rentabilizar o patrimônio dos investidores mesmo em períodos de crise, tarefa mais difícil para quem aplica em ações diretamente, e não por meio de um fundo.

Como são aplicados os recursos de um fundo de ações?

Um fundo de ações precisa investir pelo menos 67% do seu portfólio em ações na Bolsa de Valores ou ativos relacionados como BDRs e cotas de fundos de ações.

O restante do patrimônio do fundo pode ser investido em outros ativos, mas sempre respeitando limites pré-determinados de concentração de portfólio, que são aplicados em todos os tipos de fundos de investimento.

Qual a diferença entre investir em ações e fundos de ações?

O investidor pode optar por comprar ações de empresa de forma direta, sem depender de um fundo. Para isso, ele deverá buscar os códigos (chamados de tickers) das ações na plataforma de home broker do seu banco ou corretora e emitir uma ordem de compra.

Confira o conteúdo completo do Guia Invest sobre como investir em ações.

A principal vantagem de investir diretamente em ações é a possibilidade de gerir a carteira de forma independente. O investidor pode vender e comprar ações no prazo e no volume que desejar, adotando a própria estratégia.

Por outro lado, o papel de um gestor de um fundo de ações é justamente o de escolher ativos de acordo com a estratégia que ele julgar mais adequada. Vale lembrar que gestores de ações costumam ter experiência de mercado, além de acompanhar diariamente as projeções para os preços de ativos. Investir diretamente em ações pode ter desvantagens, principalmente se o investidor for inexperiente ou não dispor de tempo para estudar e operar os papeis.

Como escolher um fundo de ações?

Assim como em qualquer outra categoria de investimentos, existem fundos de ações com perfis diversos.

É possível encontrar fundos que escolhem suas ações de acordo com diferentes critérios. De acordo com a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), as classes de fundos de ações são:

  • Ações Indexados;
  • Ações Índice Ativo;
  • Ações Valor / Crescimento;
  • Ações Small Caps (pequenas empresas);
  • Ações Dividendos;
  • Ações Sustentabilidade / Governança (ESG);
  • Ações Setoriais;
  • Ações Livre;
  • Ações FMP-FGTS;
  • Fundos fechados de Ações;
  • Fundo Mono Ação
  • Ações Investimento no Exterior

Quem deve investir em fundos de ações?

Esse tipo de fundo é mais indicado para investidores com objetivo de longo prazo e perfil de investidor moderado ou arrojado, que tolere maior exposição ao risco em troca da possibilidade de uma maior rentabilidade. 

Isso porque mesmo tendo mais diversificação e uma estratégia mais robusta de alocação, os fundos de ações podem ter alta volatilidade e até registrar perdas relevantes em algumas janelas de tempo.

Qual o melhor fundo de ações?

Ao escolher um fundo, o investidor não deve olhar apenas para o rendimento acumulado em um período recente. O ideal é buscar ativos com diversificação, com bons gestores e com resultados consistentes em longo prazo.

Além disso, é importante avaliar se o fundo em questão é adequado para seu perfil de risco. Investidores conservadores e moderados devem evitar altas exposições a fundos de ações que aplicam em small caps e em empresas estrangeiras, por exemplo, por serem ativos de maior volatilidade.

Melhores fundos de ações em 2021

A Anbima faz um acompanhamento mensal do rendimento das diferentes classes de fundos de ações. Veja o rendimento dos fundos de ações em 2021:

Tipo de fundo Rendimento em 2021 (em %)
Ações FMP-FGTS 23.9
Fundo Mono Ação 16.5
Ações Setoriais 16.4
Fechados de Ações 15.96
Ações Small Caps 15.25
Ações Investimento no Exterior 13.19
Ações Livre 9.94
Ações Valor / Crescimento 9.72
Ações Índice Ativo 8.29
Ações Indexados 7.77
Ações Sustentabilidade / Governança 6.64
Ações Dividendos 4.47
Ibovespa 5.9

Dados até 21/07/2021.

Vantagens de investir em um fundo de ações

Investir em um fundo de ações também pode ser uma boa alternativa para investidores iniciantes que gostariam de contar com uma gestão profissional de portfólio e diversificação nos investimentos na Bolsa.

Como os fundos de ações são geridos por gestores profissionais que tomam as decisões de investimento, o investidor também não precisa lidar com burocracias como recolhimento de impostos em caso de venda de ativos.

Uma outra vantagem extra é que os fundos de ações não têm a cobrança do come-cotas, o imposto que é cobrado de outros fundos, como os multimercado e de renda fixa.

Desvantagens de investir em um fundo de ações

Para remunerar os administradores e gestores do fundo, é cobrada uma taxa de administração. Em alguns casos, também pode ser cobrada a taxa de performance, um percentual em cima dos rendimentos que só é cobrado caso o fundo ultrapasse algum benchmark determinado.

Impostos cobrados

Fundos de ações sofrem duas cobranças de impostos principais:

  • Imposto de Renda;
  • Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

O valor do Imposto de Renda é de 15% para resgates feitos em qualquer prazo, e incide somente sobre o rendimento do fundo. A cobrança é feita já na fonte.

Já o IOF só é cobrado se o investidor faz o resgate do fundo dentro do prazo de 30 dias, a partir da aplicação. A tabela é regressiva, e varia de 96% do rendimento para resgates após 1 dia, até 3% para resgates em 29 dias.