Inteligência Artificial

Nova IA para Alexa? Amazon vai atualizar serviço e pretende cobrar por isso, diz site

A previsão é que a nova Alexa seja lançada em agosto desse ano em duas versões, uma gratuita e outra paga

Nova atualização da Alexa: versão paga promete funções avançadas como redigir e-mails e pedidos por delivery. (EXAME/Reprodução)

Nova atualização da Alexa: versão paga promete funções avançadas como redigir e-mails e pedidos por delivery. (EXAME/Reprodução)

Luiza Vilela
Luiza Vilela

Repórter de POP e redatora da Homepage

Publicado em 22 de junho de 2024 às 17h46.

Tudo sobreInteligência artificial
Saiba mais

Os usuários da Alexa que se preparem: a Amazon deve lançar, em breve, uma nova atualização melhorada para a inteligência artificial de seus famosos Echo Dots. A única questão é que essa mudança não vai ser gratuita: segundo informações da Reuters, a gigante de tecnologia está preparando duas versões deste novo serviço, sendo um deles pago, com valor de US$ 5 (R$ 27) mensais.

As informações divulgadas pela Reuters ainda são, de acordo com a reportagem, incertas e variáveis. No entanto, a fonte ouvida pelo portal afirma que a previsão é de que o projeto, intitulado "Banyan”, já esteja disponível em agosto de 2024. 

Amazon enfrenta desafios para integrar IA generativa na Alexa, revelam ex-funcionários

O que muda com a nova Alexa?

O sucesso da Alexa no mundo foi expressivo. Desde sua criação, em 2014, os Echo Dots foram comprados e utilizados por milhares de pessoas, tendo chegado à marca de meio bilhão de dispositivos habilitados no mundo. A IA da Amazon se conecta hoje a eletrodomésticos diversos e smartphones para ligá-los ou desligá-los, mas é usada sobretudo para perguntas e respostas rápidas, temporizadores, alarmes e outras atividades rotineiras dentro de casa.

Segundo carta do CEO da companhia, Andy Jassy, enviada aos acionistas em abril deste ano, a inteligência artificial ligada à Alexa será ainda "mais inteligente e capaz" do que sua atual versão. Na versão paga, ela será capaz de desempenhar tarefas mais complexas, como redigir e-mails, pedir comida por aplicativos de delivery, entre outros.

Falta lucro

À Reuters, funcionários da Amazon envolvidos na nova atualização da Alexa afirmaram que o projeto é uma tentativa de gerar lucro em cima dos dispositivos, que desde seu lançamento não obtiveram ganhos significativos para a companhia.

Desde o lançamento do ChatGPT, gigantes de tecnologia também correm para atualizar seus serviços de Inteligência Artificial. O Google recentemente anunciou mudanças em sua interface e multifuncionalidades usando IA, assim como a Microsoft e a Apple.

Acompanhe tudo sobre:AmazonInteligência artificial

Mais de Inteligência Artificial

Cerca de 80% das empresas no Brasil investiram ou vão investir em IA nos próximos 12 meses

OpenAI define cinco níveis para alcançar a inteligência artificial humana

Pesquisa mostra resistência ao uso de IA no atendimento ao cliente

AMD anuncia aquisição do maior laboratório privado de IA da Europa por R$ 3,5 bilhões

Mais na Exame