Inteligência Artificial

Google lança chip de IA e se firma na corrida tecnológica

Com novidade, empresa pode deixar de gastar milhares de dólares em chips

Google se fixa cada vez mais na corrida pelo desenvolvimento da inteligência artificial (Google/Divulgação)

Google se fixa cada vez mais na corrida pelo desenvolvimento da inteligência artificial (Google/Divulgação)

Publicado em 10 de abril de 2024 às 10h52.

Última atualização em 10 de abril de 2024 às 15h39.

Na terça-feira, o Google anunciou um novo chip baseado em inteligência artificial, o chamado Axion. Além disso, foi divulgado o desenvolvimento de um novo processador, baseado na tecnologia da empresa Arm.

Segundo a Business Insider, a ideia é oferecer o chip por meio do Google Cloud. De acordo com a empresa, ele possui desempenho superior aos chips x86 e aos chips Arm de uso geral.

O lançamento do novo CPU -- sigla para central processing unit, chip responsável pelo processamento de dados -- vem depois de lançamentos da Amazon e da Microsoft que também se baseiam em processadores ligados à Arm.

De acordo com o Google, o Axion melhorará a performance de tarefas de propósito geral, como bancos de dados open-source, treinamento de inteligências artificiais e mecanismos de análise de dados. A empresa afirma ainda que o chip melhorará a performance em 50% e a eficiência energética em 60%.

A decisão do Google de fazer seu próprio chip de IA pode levar a uma competição com empresas como Nvidia e Intel. A medida pode ainda resultar em uma poupança significativa de recursos, já que chips podem chegar a custar dezenas de milhares de dólares.

CPUs como o Axion possuem um papel importante na corrida pelo avanço da inteligência artificial, uma vez que o treinamento de IAs complexas envolve o processamento de grandes quantidades de dados, os quais CPUs ajudam a analisar.

Neste momento, estamos testemunhando uma verdadeira corrida pelo avanço de inteligências artificiais, à medida que chatbots como o ChatGPT e o Gemini tornam-se cada vez mais desenvolvidos e populares. Agora, o Google parece entrar na corrida de forma definitiva, buscando recuperar o tempo perdido e colocar-se entre os maiores desenvolvedores de IAs do planeta.

Acompanhe tudo sobre:Inteligência artificialChipsGoogle

Mais de Inteligência Artificial

Profissionais de IA se mobilizam para salvar vidas na tragédia do Rio Grande do Sul

Inteligência artificial já engana humanos e isso é um problema, dizem especialistas

OpenAI pode lançar 'novo Google' na segunda-feira, 13

Da imaginação para o quadro: a inteligência artificial da Obvious 'lê' o cérebro para criar imagens

Mais na Exame