Inteligência Artificial

Amazon investe US$ 4 bi na Anthropic, maior investimento em venture capital de sua história

A parceria é uma das várias estabelecidas entre startups de IA e gigantes de tecnologia ao longo do último ano

Anthropic: startup é desenvolvedora do chatbot Claude,  (Anthropic/Divulgação)

Anthropic: startup é desenvolvedora do chatbot Claude, (Anthropic/Divulgação)

Publicado em 28 de março de 2024 às 07h43.

Última atualização em 9 de abril de 2024 às 16h19.

A Amazon investiu mais US$ 2,75 bilhões na startup de inteligência artificial Anthropic. O acordo é o maior investimento em venture capital já feito pela Amazon e eleva seu investimento total na Anthropic para US$ 4 bilhões. 

A parceria é uma das várias estabelecidas entre startups de IA e gigantes de tecnologia ao longo do último ano, à medida que Google, Microsoft, Amazon e outros apostam que a força na IA generativa será sua maior vantagem competitiva nos próximos anos.

A Amazon investiu inicialmente US$ 1,25 bilhão em setembro do ano passado e havia reservado o direito de aumentar esse total para US$ 4 bilhões antes do final de março.

"IA generativa está pronta para ser a tecnologia mais transformadora de nosso tempo, e acreditamos que nossa colaboração estratégica com a Anthropic irá melhorar ainda mais as experiências de nossos clientes, e aguardamos com expectativa o que está por vir," disse Swami Sivasubramanian, vice-presidente de dados e IA no provedor de nuvem AWS.

A Anthropic está levantando separadamente centenas de milhões de dólares de capital de risco. Em conjunto, os acordos poderiam, em última análise, fornecer à Anthropic bilhões de dólares em capital e créditos para usar serviços de computação em nuvem, a uma avaliação de mais de US$ 18 bilhões, de acordo com fontes do jornal britânico Financial Times.

A Amazon está aumentando sua aposta na Anthropic mesmo com o crescente escrutínio dos reguladores nos EUA, Reino Unido e UE sobre preocupações de que os acordos entre as Big Tech e as startups de IA mais proeminentes possam representar riscos anticoncorrenciais.

A Microsoft assumiu a liderança no espaço de IA generativa, investindo US$ 13 bilhões na OpenAI, cujo chatbot ChatGPT gerou uma frenesi de empolgação dos investidores sobre a tecnologia em rápida evolução. A Microsoft desde então investiu na startup de IA europeia Mistral.

A Amazon reiterou na última quarta-feira, 27, que seria o "provedor de nuvem primário" da Anthropic. A startup também usará chips de computação de IA desenvolvidos internamente pela Amazon e está trabalhando com o provedor de nuvem para desenvolver e melhorar o hardware, que visa competir com os chips altamente procurados da Nvidia.

No entanto, o acordo não vincula a Anthropic exclusivamente à nuvem da Amazon, como o acordo da OpenAI com a Microsoft faz, e a startup continuará a usar também a nuvem da Google. A Google concordou em investir até US$ 2 bilhões na Anthropic, segundo o jornal Financial Times.

A Anthropic foi fundada em 2021 por um grupo de pesquisadores que saíram da OpenAI devido a preocupações com seu compromisso com a segurança da IA. A empresa sediada em San Francisco é amplamente considerada como a desafiante mais provável da dominância inicial da OpenAI no setor. Seu modelo mais recente, Claude 3, supera o GPT4 da OpenAI em vários benchmarks da indústria.

Um dos primeiros investidores da Anthropic foi o grupo de criptomoedas de Sam Bankman-Fried, FTX, que desde então vendeu a maior parte de sua participação na empresa como parte dos processos de falência. Um fundo de propriedade do fundo soberano de Abu Dhabi, Mubadala, concordou em comprar a maioria da participação da FTX por US$ 500 milhões.

Acompanhe tudo sobre:AmazonInteligência artificialVenture capitalexame-ceo

Mais de Inteligência Artificial

Em quanto tempo a IA vai ficar mais inteligente que humanos? Musk e CEO chinês têm palpites

OpenAI não copiou voz de Scarlett Johansson para o ChatGPT, diz jornal

Alexa será atualizada com IA e Amazon vai cobrar taxa pela tecnologia, diz site

Os grandes destaques do Build 2024, o evento de novas tecnologias da Microsoft

Mais na Exame