Inteligência Artificial

Cofundador da DeepMind, Mustafa Suleyman, irá comandar divisão de IA da Microsoft

Mustafa Suleyman cuidará de produtos e pesquisa relacionados à tecnologia, incluindo Edge, Copilot e Bing

Suleyman durante palestra no Fórum de Davos deste ano

Suleyman durante palestra no Fórum de Davos deste ano

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 20 de março de 2024 às 10h17.

Microsoft anunciou na terça-feira (19) que contratou o cofundador da DeepMind, Mustafa Suleyman, para liderar sua divisão de IA para consumidores. Assim, o pesquisador e empresário britânico vai trabalhar ao lado do também britânico Karén Simonyan na nova divisão nomeada como Microsoft AI — Suleyman será o CEO e Simonyan será o cientista-chefe desse braço da big tech.

Suleyman cuidará de produtos e pesquisa relacionados à tecnologia — isso inclui o Microsoft Edge, Bing e Copilot. “Tem sido uma jornada incrível, com muito mais por vir. Obrigado a todos pelo apoio. As coisas realmente estão apenas começando”, destacou o executivo numa publicação no X.

Suleyman já trabalhou no Google

Suleyman fundou a DeepMind, em 2010, ao lado de Demis Hassabis e Shane Legg como uma companhia para desenvolver e pesquisar tecnologias de IA, algo que na época não era tão presente em nosso cotidiano como é hoje.

A companhia foi adquirida pelo Google em 2014. O empresário britânico foi então contratado para comandar a área de IA do Google em 2019 e ficou por lá até 2022.

Quando deixou a Google DeepMind, Suleyman se juntou a Karén Simonyan para fundar a startup Inflection AI, que trabalha com tecnologia de inteligência artificial generativa e é considerada rival do ChatGPT.

Agora, a Inflection deve mudar o foco de seu chatbot para consumidores e passará a vender software de IA para empresas, de acordo com comunicado em seu site. Sean White, que ocupou vários cargos no setor, será o novo CEO. O terceiro cofundador da Inflection, Reid Hoffman, fundador e presidente-executivo do LinkedIn, permanecerá no conselho.

A Inflection levantou US$ 1,3 bilhão em financiamento em junho passado, passando a ser avaliada em cerca de US$ 4 bilhões, numa das maiores captações já feitas por uma startup de IA.

Acompanhe tudo sobre:Inteligência artificialMicrosoft

Mais de Inteligência Artificial

Nova IA para Alexa? Amazon vai atualizar serviço e pretende cobrar por isso, diz site

A IA no cotidiano: entre a produtividade e o riso

OpenAI melhora processo de recrutamento por temer espiões chineses

A inteligência artificial consegue contar boas piadas? Pesquisadores fizeram o teste

Mais na Exame