Future of Money

Venda de ativos de empresa falida pode desvalorizar criptomoedas; entenda

Relatório da companhia de inteligência de mercado Kaiko destacou que moedas digitais alternativas ao bitcoin e ao ether são as mais vulneráveis

Celsius declarou falência em 2022 (Celsius Network/Exame)

Celsius declarou falência em 2022 (Celsius Network/Exame)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 12 de julho de 2023 às 14h16.

Um relatório divulgado pela empresa de inteligência de mercado Kaiko nesta semana aponta que diversas altcoins - criptomoedas alternativas ao bitcoin e ao ether com valores de mercado menores - podem sofrer uma forte pressão de venda com o início de venda de ativos pela Celsius.

A Celsius era uma empresa que realizava operações de empréstimo com criptoativos e chegou a ser uma das maiores do segmento. Entretanto, ela foi afetada pelo colapso do ecossistema Terra/Luna e declarou falência em 2022. Desde então, ela vem se desfazendo de ativos para conseguir pagar suas dívidas.

Segundo a Kaiko, a empresa ainda possui mais de US$ 600 milhões em criptomoedas, considerando os dados de 30 de junho, incluindo US$ 300 milhões em bitcoin e US$ 117 milhões em ether. Entretanto, os valores representam "uma fração" dos volumes diários movimentados desses ativos, e por isso as vendas no mercado teriam um impacto menor nos preços.

Mas a Celsius ainda possui US$ 180 milhões em outras criptomoedas, incluindo US$ 100 milhões de CEL, seu token nativo. A Kaiko acredita que essa quantia representa um problema maior, já que as vendas podem levar a aumentos repentinos na oferta de diversas moedas digitais com uma demanda estável, levando a desvalorizações.

"Embora não haja detalhes sobre as taxas de compra e venda ou os locais de execução, o impacto no mercado pode ser significativo, especialmente considerando que a liquidez desses tokens caiu no ano passado", destacou o relatório da Kaiko.

A empresa acredita que "em última análise, devido às más condições de liquidez, as liquidações de altcoins pela Celsius podem pressionar os mercados de criptomoedas no curto prazo". As maiores vítimas tendem a ser os ativos com menores capitalizações de mercado, já que eles possuem liquidez menor.

Celsius busca quitar dívidas

A massa falida da Celsius foi adquirida pela Fahrenheit Holdings, que ainda não compartilhou detalhes sobre os próximos passos do processo de venda desses ativos. Entretanto, a empresa confirmou que vai realizar uma sessão no Twitter Spaces na próxima quarta-feira, 19, para compartilhar esses detalhes.

As vendas das criptomoedas são importantes para que a Celsius consiga reunir os fundos necessários para ressarcir seus clientes e credores. Mesmo com as vendas de todas as suas criptomoedas, a empresa ainda teria um déficit de US$ 1,2 bilhão para saldar suas dívidas.

Em maio, a empresa se aproveitou da atualização Shanghai da Ethereum, que liberou saques de ether bloqueados na rede, para sacar cerca de US$ 781 milhões em unidades da criptomoeda. Com isso, ela se tornou uma das entidades que mais realizou retiradas da rede, o que não impediu que o blockchain chegasse a um recorde de depósitos.

Comece seu portfólio de criptomoedas. A Mynt é uma empresa BTG Pactual para você comprar e vender crypto com segurança e atendimento 24 horas. Abra agora sua conta e desbloqueie seu mundo crypto.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok

Acompanhe tudo sobre:CriptomoedasCriptoativos

Mais de Future of Money

Brasileiros investem R$ 9,1 milhões nos fundos de criptomoedas em semana de reação global

Banco Central revela próximos passos da regulação de criptomoedas; veja o que esperar

Número de novas carteiras de bitcoin atinge menor nível desde 2018

Bitcoin começa semana acima de US$ 67 mil, mas ata do Fed pode impactar preço

Mais na Exame