• AALR3 R$ 19,77 0.10
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,44 -0.60
  • ABEV3 R$ 14,71 1.17
  • AERI3 R$ 3,99 6.40
  • AESB3 R$ 10,82 1.69
  • AGRO3 R$ 31,39 -2.09
  • ALPA4 R$ 21,84 0.18
  • ALSO3 R$ 19,68 -0.05
  • ALUP11 R$ 26,30 0.19
  • AMAR3 R$ 2,28 2.24
  • AMBP3 R$ 29,06 -2.32
  • AMER3 R$ 23,49 1.91
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,49 2.04
  • ARZZ3 R$ 81,91 -0.70
  • ASAI3 R$ 15,42 -0.39
  • AZUL4 R$ 21,08 1.93
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
  • AALR3 R$ 19,77 0.10
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,44 -0.60
  • ABEV3 R$ 14,71 1.17
  • AERI3 R$ 3,99 6.40
  • AESB3 R$ 10,82 1.69
  • AGRO3 R$ 31,39 -2.09
  • ALPA4 R$ 21,84 0.18
  • ALSO3 R$ 19,68 -0.05
  • ALUP11 R$ 26,30 0.19
  • AMAR3 R$ 2,28 2.24
  • AMBP3 R$ 29,06 -2.32
  • AMER3 R$ 23,49 1.91
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,49 2.04
  • ARZZ3 R$ 81,91 -0.70
  • ASAI3 R$ 15,42 -0.39
  • AZUL4 R$ 21,08 1.93
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
Abra sua conta no BTG

Opinião: nos EUA, cripto promove maior mudança cultural desde o hip hop

Um garoto dos anos 1990 reflete sobre como os rappers iconoclastas mudaram o mundo. E como essa energia está surgindo mais uma vez, agora na nova fase da internet
 (Reprodução/Arquivos de Raymond Boyd e Michael Ochs/Getty Images)
(Reprodução/Arquivos de Raymond Boyd e Michael Ochs/Getty Images)
Por CoindeskPublicado em 27/12/2021 14:00 | Última atualização em 27/12/2021 14:09Tempo de Leitura: 5 min de leitura

*Por Pavel Bains

A música hip hop na década de 1980 foi como a última década no mundo cripto: em ascensão, compreendido por poucos, restrito, tendo Nova York como grande centro e citado por quem está de fora como uma "moda passageira".

Então, por volta de 1990, o movimento tomou conta dos Estados Unidos com Public Enemy, NWA, 2 Live Crew, Native Tongues Crew e inúmeros outros. Foi abraçado pelos jovens. Não apenas afro-americanos, mas quase todas as minorias nos EUA e no Canadá, incluindo meus amigos e eu, que éramos todos indo-canadenses e sino-canadenses de primeira geração.

Em 1992, o estilo hip hop se transformou em esportes e moda. Os “Fab Five” do time de basquete de Michigan representavam todas as crianças do ensino médio americano naquela época. Eles raspavam a cabeça como Onyx, usavam shorts extralargos, falavam com confiança e usavam meias pretas. Eles foram tão influentes que a Nike lançou uma linha de meias pretas. A Nike só vendia meias brancas na época.

(Instant Vantage/Flickr/Reprodução)

Nosso estilo de roupa mudou por causa dos rappers. Snoop Dogg até fez com que fosse legal usar camisetas de hóquei. Os bonés da marca Starter eram obrigatórios. E então, quando Allen Iverson entrou na NBA em 1996, a liga mudou para sempre.

Os "Fab Five" o time de basquete da Universidade de Michigan – da esquerda para a direita, Jimmy King (24), Jalen Rose (5), Chris Webber (4), Ray Jackson (21) e Juwan Howard (25) (Stoch 3/Creative Commons/Reprodução)

 

Algumas pessoas odiavam o estilo. Isso deu início a uma era de “política de respeitabilidade”, em que políticos e celebridades diziam às crianças para puxar suas calças para cima.

O que antes era considerado uma tendência de curto prazo — como uma bolha de tulipa — tornou-se uma cultura global legítima. Eu viajei para quase todas as regiões do mundo nos últimos seis anos, e a única cultura comum era o hip hop, mesmo se você não perceber.

O maior estilista do mundo, Virgil Abloh, que faleceu recentemente, era puramente hip hop. Ele também era todo garoto que eu conhecia enquanto crescia.

Tendo testemunhado o crescimento e a longevidade da cultura do hip hop, agora vejo algo semelhante com o mundo cripto. Os NFTs conseguiram atingir o público e nunca vão desaparecer. Agora não é apenas dinheiro, mas uma parte integrante de seus produtos e da identidade jovem. Tokens não fungíveis são para crianças de hoje, o que bonés da Starter e jaquetas de cetim eram para mim e para os meus.

O mundo cripto mudou a forma como as comunidades se formam em torno dos produtos. O Discord, ou algo parecido, será a principal plataforma para qualquer projeto ou marca que queira se conectar com os jovens. O mundo cripto é em tempo real, é dinheiro, é um videogame, é flexível, é contra o sistema. Percebe uma tendência?

(Bored Ape Yacht Club/OpenSea/Reprodução)

Os boomers estão tentando entrar e se apropriar dessa tendência. Eles estão abusando da palavra “Web 3.0”. Isso me lembra de quando uma sitcom dos anos 1990 apresentava um garoto negro vestido como um rapper para tentar salvar seu programa que vinha recebendo baixa audiência. Existe um ditado no rap que diz: "Não existem trapaceiros pela metade." Podemos ver o que eles estão fazendo a quilômetros de distância.

Eu dei uma entrevista algumas semanas atrás e eles me perguntaram: "O que vamos dizer quando um boomer buscar 'NFT' no Google e ver um bando de macacos loucos, sapos e coisas malucas?"

Eu disse: "Quem se importa?" O que os boomers da década de 1990 disseram quando ouviram falar do rap na TV? Quando eles viram Tupac mostrando o dedo do meio, Ice T gritando “assassino de policiais” e NWA dizendo “dane-se a polícia”. Os boomers não conseguiam impedir isso naquela época e não vão impedir um movimento cultural agora.

A ascensão do mundo cripto na cultura não é nem mesmo para nós, é para minha filha adolescente e seus colegas ao redor do mundo. A diferença é que apenas um grupo seleto fez muito dinheiro no hip hop. Com os criptoativos, todos nós podemos.

* Pavel Bains é CEO da Bluzelle e escreve para a CoinDesk.

Este é um conteúdo da CoinDesk. O texto não reflete necessariamente a opinião da EXAME.