Web 3.0: o próximo grande negócio em criptomoedas, segundo especialistas

Ativos digitais como livepeer, helium e bittorrent obtiveram altas nos preços apesar das recentes quedas de outras criptomoedas e são a nova aposta do mercado
Conheça os tokens "Web 3.0" (cihatatceken/Getty Images)
Conheça os tokens "Web 3.0" (cihatatceken/Getty Images)
C
CoindeskPublicado em 06/08/2021 às 17:44.

Os preços do bitcoin estão presos em um padrão que já dura meses, e especialistas especulam qual seria a próxima aposta do mercado de criptomoedas: ativos digitais associados à visões de uma internet descentralizada, apelidados informalmente de tokens "Web 3.0".

Dados rastreados pela ferramenta de análise Messari, publicados por Jeff Dorman, demonstram que o sub-setor das criptomoedas ocupado pelos tokens “Web 3.0” cresceu 22% na semana que antecedeu primeiro de agosto, ofuscando o bitcoin e todo e qualquer outro sub-setor, incluindo os NFTs. O bitcoin, que é a maior criptomoeda por valor de mercado, sofreu um rally nos preços de 10%.

Em um contexto anual, os tokens associados à aplicativos de internet descentralizada sofreram alta de em média 244%, ficando atrás dos 2,726% das NFTs mas ultrapassando os 37% do bitcoin.

(Arca, Messari, TradingView/Reprodução)

Algumas das moedas "Web 3.0" que mais se destacam são: livepeer (LPT), helium (HNT), e bittorrent (BTT), que cresceram em 800% esse ano, apesar do clima pessimista que permeou os mercados de criptomoedas desde abril, de acordo com a Messari.

“Ver o ecossistema 'Web 3.0' crescer exponencialmente desde o começo do ano e manter a maior parte de seus ganhos mesmo depois da capitulação em maio é muito positivo para o mercado de criptomoedas”, disse Nick Mancini, um analista de pesquisa da Trade The Chain. “Preços mais altos estão diretamente ligados à uma demanda maior e a expansão dos serviços em cada camada, e por conta disso, o ecossistema pode continuar a crescer”.

O nome "Web 3.0" se refere a uma mudança paradigmática para a internet rodada por participantes da rede em todo o mundo e definida por uma série de redes e protocolos abertos e descentralizados que oferecem serviços de informática, armazenamento, banda larga, finanças e identidade.

Por exemplo, o protocolo Livepeer, que é baseado na rede Ethereum, oferece um marketplace para provedores de infraestrutura de vídeo e aplicativos de streaming, enquanto o Filecoin e o The Graph proporcionam o armazenamento descentralizado de arquivos e redes de gestão de dados. O protocolo Helium usa blockchains e tokens para incentivar consumidores e pequenos negócios a promover e validar cobertura wireless, e transferir dados de dispositivos para a rede.

O rastreador da Messari mostra que o sub-setor dos tokens "Web 3.0", que conta com mais de 40 criptomoedas, tem valor de mercado total de 25 bilhões de dólares, sem contar o provedor de oráculos, Chainlink, que possui sozinho o valor de mercado de 10 bilhões.

No entanto, apenas considerando projetos de destaque como The Graph, Filecoin, Helium e Livepeer, o valor de mercado dos tokens Web 3.0 corresponde a menos de 15 bilhões de dólares, ou apenas 2% do valor de mercado do bitcoin, que está em 737 bilhões. Mas é similar ao tamanho ocupado pelas finanças descentralizadas um ano atrás. Dados da Messari demonstram que o subsetor agora inclui 137 ativos e vale mais de 50 bilhões de dólares.

A espera por atenção do mercado popular

Enquanto os tokens Web 3.0 sobreexcederam a performance do bitcoin e outras grandes criptomoedas com uma grande margem esse ano, o setor ainda não presenciou a euforia e atenção do mercado popular que o bitcoin, ethereum, DeFi, NFTs e até mesmo projetos da segunda camada da Ethereum presenciam desde outubro de 2020.

Isso acontece, provavelmente, porque a tecnologia por baixo deles é relativamente complexa.

“Web 3 não é tão fácil de entender como DeFi, e está provavelmente 12 meses atrás de DeFi em termos de conhecimento popular”, disse o cofundador e sócio da Multicoin Capital, Kyle Samani. “Nós esperamos que isso mude conforme aplicativos baseados em NFTs, tokens sociais e a monetização de criadores cresça nos próximos 12 meses como aconteceu com Audius, Mirror, e muitos outros”.

O boom de popularidade das finanças descentralizadas (DeFi) começou há um ano e segue intacto até o momento. O valor de mercado do setor cresceu de 5 bilhões de dólares no começo de 2020 para mais de 50 bilhões até o momento.

Samani está confiante que os tokens Web 3.0 podem alcançar as finanças descentralizadas, se em algum momento elas tiverem uma má reputação; no entanto, não há nada de negativo associado à ideia de uma internet descentralizada ainda. Recentemente, Dan Berkovitz, representante da CFTC, Comissão de Negociação de Contratos Futuros de Commodities dos EUA, disse que derivativos de DeFi podem se tornar ilegais nos Estados Unidos.

“Ninguém realmente diz que o The Graph, um protocolo de indexação para redes como Ethereum, Solana e IPFS é ruim, enquanto muita gente no sistema financeiro diz que DeFi é ruim”, disse Samani. “Então conforme a conscientização das pessoas quanto à existência da Web 3 cresce, é difícil vislumbrar algo além de apoio e entusiasmo”.

Investimentos de Empresas

Enquanto a adoção popular ainda irá demorar pelo menos mais um ano, grandes investidores estão colocando dinheiro em tokens Web 3.0. A Multicoin Capital investiu em The Graph, Helium e Livepeer, de acordo com seu site oficial.

A Grayscale, maior do mundo em gestão de ativos digitais, lançou um fundo de livepeer em março. Rayhaneh Sharif-Askary, diretor de relacionamento com o investidor na Grayscale Investments disse ao Coindesk no último mês que os investidores estão diversificando suas carteiras com tokens Web 3.0.

“É uma diversificação dentro da classe de ativos, seja se o investidor quer ser exposto ao bitcoin como uma reserva de valor, ou a rede Ethereum pelos contratos inteligentes”, disse Sharif-Askary.

“E então outros aplicativos estão se baseando nessas redes para se construir, e resolver outros problemas do mundo real”, disse ela, adicionando que o fundo de Livepeer da Grayscale é estruturalmente idêntico ao histórico fundo de bitcoin da empresa.

O token da Livepeer subiu em 1.050% esse ano. A renda semanal do protocolo se multiplicou em 10 vezes para mais de 10 mil dólares no período de fevereiro a junho, de acordo com dados do Web3Index.

Doug Petkanics, o CEO e cofundador da Livepeer, disse ao Coindesk que o serviço de streaming online representa um mercado de 70 bilhões de dólares e 80% do tráfego na internet hoje em dia. Além disso, o mercado está programado para crescer até a marca dos 250 bilhões nos próximos cinco anos de acordo com projeções de analistas, disse Petkanics. Os prospectos para o The Graph e Ocean Protocol também são otimistas, de acordo com a revisão da Messari para o segundo trimestre.

Além de forte utilidade, muitos desses tokens Web 3.0 oferecem rendimentos atrativos via Staked, uma plataforma que permite aos investidores lucrar com rendimentos de ações e DeFi sem tomar custódia de seus ativos de criptomoedas.

Por exemplo, o token da Helium atualmente oferece um rendimento nominal anual de 8,7%, enquanto o The Graph oferece 15%, e o Livepeer 30%. Altos retornos como esses trouxeram otimismo para os tokens, como reflete no gráfico abaixo.

“Especialistas se sentem otimistas quanto aos tokens, o que gera um efeito na rede”, disse Mancini. “Eles lucram e apostam, e em retorno, contam aos outros sobre a grande oportunidade”.

(TradeTheChain/Reprodução)

O mercado das criptomoedas é muito maior que o bitcoin

Os dias em que investidores consideravam os mercados de criptomoedas como um sinônimo para o bitcoin ficaram no passado. Enquanto o bitcoin continua em primeiro lugar quando o assunto é valor de mercado, uma recente performance abaixo do esperado em relação à outras moedas sugere que investidores estão mergulhando fundo no mercado de ativos digitais para encontrar investimentos com potencial de crescimento mais rápido.

“Dados de uma semana podem não representar muito, mas se observarmos os últimos três meses, seis meses, e 12 meses, é possível constatar claro distanciamento do bitcoin para outros subsetores, e o Web 3.0 é um deles”, disse Jeff Dorman, da Arca.

Segundo pesquisa da Arca publicada no começo da semana, o bitcoin sofreu para sobreexceder a performance de outras grandes moedas durante a retração do mercado que ocorreu em meados de abril, e ainda não teve mudanças animadoras com a recuperação do mercado nas últimas duas semanas.

De acordo com Dorman, os dados mostram que parte dos novos investidores estão “dispensando” o bitcoin e ether, e indo diretamente para outros subsetores da indústria. Historicamente, investidores utilizaram as duas maiores criptomoedas como porta de entrada.

(Arca/Reprodução)

Texto traduzido e republicado com autorização da Coindesk