Mercado cripto despenca, perde R$ 1,2 trilhão e bitcoin cai ao seu menor preço desde 2020

A capitalização do mercado cripto não chegava a valores menores que US$ 1 trilhão desde dezembro de 2020; serviço de empréstimos e corretora congelam saques
Preço do bitcoin é o menor em mais de um ano (D-Keine/Getty Images)
Preço do bitcoin é o menor em mais de um ano (D-Keine/Getty Images)
M
Mariana Maria Silva

Publicado em 13/06/2022 às 11:09.

Última atualização em 13/06/2022 às 11:56.

O mercado de criptomoedas inicia esta segunda-feira, 13, com uma série de perdas. Enquanto as principais moedas apresentam quedas na casa dos dois dígitos, sua capitalização está abaixo de US$ 1 trilhão pela primeira vez desde dezembro de 2020, segundo dados do CoinMarketCap. No total, aproximadamente R$1,2 trilhão (ou US$ 250 bilhões) deixaram o mercado.

O preço do bitcoin, a maior criptomoeda do mundo, cai 13,1% nas últimas 24 horas e atinge seu menor valor desde a mesma época, de acordo com dados do CoinGecko. Uma possível razão para a pressão vendedora da criptomoeda é o serviço de empréstimos em blockchain Celsius.

(Mynt/Divulgação)

A Celsius anunciou nesta segunda uma paralisação dos saques, citando “condições extremas de mercado”. A empresa anunciou que também pausaria seus produtos de troca e transferência, de acordo com uma publicação, sem fornecer um cronograma para retomar as retiradas.

“Estamos trabalhando com um foco singular: proteger e preservar os ativos para cumprir nossas obrigações com os clientes. Nosso objetivo final é estabilizar a liquidez e restaurar saques, troca e transferências entre contas o mais rápido possível. Há muito trabalho pela frente, pois consideramos várias opções, esse processo levará tempo e pode haver atrasos”, disse a Celsius.

Além disso, a maior corretora de criptomoedas por valor de mercado também precisou congelar os saques de bitcoin nesta segunda-feira, 13. Conhecido como “CZ”, o CEO da Binance anunciou em sua conta oficial no Twitter que a corretora estaria congelando os saques por “aproximadamente 30 minutos”. No entanto, depois o CEO avisou que o tempo poderia ser um pouco maior do que o esperado.

“Pausa temporária nos saques de bitcoin na Binance, por conta de uma transação presa que está causando um backlog. Isso deve ser resolvido em aproximadamente 30 minutos, atualizo vocês”, publicou CZ, que posteriormente acrescentou:

“Isso está impactando apenas a rede do Bitcoin. Você ainda pode sacar bitcoin em outras redes como a BEP-20. Isso pode demorar um pouco mais para consertar do que eu estimei. Atualizo vocês em breve. Obrigada pela compreensão”.

Falando em “condições extremas de mercado”, o sentimento de investidores se mantém em “medo extremo”, de acordo com o Índice de Medo e Ganância. A métrica, que vinha subindo nas últimas semanas, voltou a cair para 11.

O Índice de Medo e Ganância funciona da seguinte forma: quanto menor o número, maior o medo, e quanto maior o número, maior a ganância de investidores. Ele pode ser utilizado para auxiliar nas decisões ao fazer um investimento em criptomoedas.

Seguindo o bitcoin, o ether despenca 15% nas últimas 24 horas, de acordo com o CoinGecko. A segunda maior criptomoeda do mundo é cotada a US$ 1.232 no momento. Solana, Avalanche e Polygon também apresentam quedas significativas, de 15,5%, 14% e 17%, respectivamente.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok