Future of Money

Gestora vai mudar ETF que se tornou um dos maiores da bolsa brasileira; entenda

Hashdex anunciou uma nova composição para o HASH11, maior ETF de cripto da B3

Bitcoin: expectativa é que moeda ultrapasse os 65 mil dólares.  (Liliya Filakhtova/Getty Images)

Bitcoin: expectativa é que moeda ultrapasse os 65 mil dólares. (Liliya Filakhtova/Getty Images)

Mariana Maria Silva
Mariana Maria Silva

Repórter do Future of Money

Publicado em 6 de junho de 2024 às 09h30.

Tudo sobreCriptomoedas
Saiba mais

A Hashdex, gestora responsável pelo HASH11, primeiro e maior ETF de cripto da bolsa brasileira, anunciou mudanças no fundo. Agora, o HASH11 deve contar com novos ativos em sua cesta disponível para investimento.

O ETF segue o Nasdaq Crypto Index, criado pela Hashdex em parceria com a Nasdaq e atualmente gerido pela CF Benchmarks. Nesse sentido, o índice passou por mudanças que irão impactar também o HASH11.

As criptomoedas Arbitrum e Stellar foram removidas do Nasdaq Crypto Index, enquanto Solana, Polygon, Avalanche, Cardano e XRP foram adicionadas. Trimestralmente, o índice passa por um rebalanceamento.

Expansão

De acordo com a Hashdex em um comunicado, este rebalanceamento foi a maior expansão do HASH11 desde o seu lançamento, elevando o número de ativos do Nasdaq Crypto Index de 8 para 11. Em abril de 2021, quando o HASH11 foi lançado, eram apenas 6 ativos e mais de 80% de alocação em bitcoin, a maior criptomoeda do mundo em valor de mercado.

“Estamos entusiasmados em anunciar um rebalanceamento significativo do Nasdaq Crypto Index (NCI), que é a base do HASH11. Agora, o índice inclui Solana (SOL), Polygon (MATIC), Avalanche (AVAX), Cardano (ADA) e XRP, enquanto Arbitrum (ARB) e Stellar (XLM) serão removidos”, comentou Samir Kergabe, CIO da Hashdex.

“Este é o rebalanceamento mais relevante desde o lançamento do HASH11, expandindo o índice de 8 para 11 ativos. O peso do Bitcoin será reduzido de aproximadamente 69% para cerca de 64%, com a entrada de Solana com cerca de 5,36%”, acrescentou.

Além do HASH11, estão disponíveis para negociação na B3, bolsa brasileira, uma série de ETFs de criptoativos. Recentemente, o mercado norte-americano também ganhou ETFs de criptoativos com a aprovação em janeiro dos ETFs de bitcoin à vista. No mês passado, os ETFs de ether à vista também foram aprovados pela Comissão de Valores Mobiliários dos EUA, mas ainda não há uma previsão concreta sobre quando eles irão ser disponibilizados para negociação.

O JEITO FÁCIL E SEGURO DE INVESTIR EM CRYPTO. Na Mynt você negocia em poucos cliques e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Compre as maiores cryptos do mundo em minutos direto pelo app. Clique aqui para abrir sua conta gratuita.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok  

Leia mais

Acompanhe tudo sobre:ETFsCriptoativosCriptomoedas

Mais de Future of Money

Bitcoin ou ether: o que comprar após forte queda das criptomoedas?

Empresa brasileira usa tokenização para permitir investimentos em hits do piseiro

União Europeia vai apoiar projeto que usa blockchain para criar soluções de sustentabilidade

ETFs de Ethereum podem atrair US$ 10 bilhões e levar cripto à máxima histórica, diz analista

Mais na Exame