CEO da Binance apaga post em que acusava Coinbase após ser corrigido por rival

Changpeng Zhao tinha apontado supostas divergências nos dados financeiros da corretora de criptoativos, mas depois se retratou
Changpeng Zhao, CEO da Binance, já havia feito posts com críticas a outra concorrente, a FTX (Bloomberg/Getty Images)
Changpeng Zhao, CEO da Binance, já havia feito posts com críticas a outra concorrente, a FTX (Bloomberg/Getty Images)
J
João Pedro MalarPublicado em 22/11/2022 às 16:18.

O CEO da corretora de criptoativos Binance, Changpeng Zhao, apagou post feito nesta terça-feira (22) em que apontava uma suposta divergência nos números financeiros de uma de suas concorrentes, a Coinbase. Após ser corrigido pelo CEO da exchange, ele fez outra publicação em que se retratou.

CZ, como o CEO é conhecido, fez um post em que compartilhava duas notícias sobre a concorrente. Uma apontava que o braço de custódia da Coinbase tinha cerca de 635 mil bitcoins que pertencem ao fundo de investimentos Grayscale. Outra, de quatro meses atrás, apontava que a corretora teria menos de 600 mil bitcoins armazenados no total.

"Apenas compartilhando 'notícias', não estou fazendo nenhuma afirmação", ressaltou o empresário na publicação. Minutos depois, porém, ele acabou apagando o post. Em termos de volume, a Coinbase se tornou a segunda maior corretora de criptoativos do mercado após a queda da FTX, perdendo apenas para a Binance, segundo o CoinMarketCap.

(Mynt/Divulgação)

Em seguida, o CEO da Coinbase, Brian Armstrong, fez um tweet com uma aparente indireta para Zhao: "se você ver FUD por aí, lembre-se, nossas finanças são públicas (somos uma empresa pública".

FUD é uma sigla inglês que se refere a "medo, incerteza e dúvida", três elementos associados a comportamentos de maior cautela por parte dos investidores e retirada de capital. O termo também pode ser usado para se referir a falas que tentam fomentar esses sentimentos sobre determinados ativos ou empresas.

Armstrong ainda compartilhou dados que apontam que a Coinbase possui cerca de 2 milhões de bitcoins, que valeriam cerca de US$ 39,9 bilhões na cotação atual. "Todos nós precisamos nos unir para construir essa indústria de maneira responsável daqui para frente. Desconfie de informações falsas", alertou.

Logo após o comentário de Armstrong, o CEO da Binance fez um novo post em que informou que o responsável pela Coinbase havia lhe informado que "os números nas notícias estão errados". "Eu deletei meu tweet anterior. Vamos trabalhar juntos para aumentar a transparência na indústria", disse Zhao.

Em um dia de recuperação no mercado após forte queda na véspera, a ação da Coinbase na bolsa de Nasdaq perdeu fôlego ao mesmo tempo em que a troca de posts ocorreu. A perda de valor de mercado chegou a US$ 270 milhões nesse período, mas o papel segue em alta de 2,22% no dia.

Essa não foi a primeira interação de Zhao pelo Twitter com CEOs de outras corretoras de criptoativos. Dias antes da falência da FTX, CZ e o fundador da exchange, Sam Bankman-Fried, trocaram indiretas no Twitter após a Binance anunciar que venderia todas as suas reservas de FTT, o token nativo da rival, aumentando a desconfiança do mercado com a empresa.

À época, Bankman-Fried chegou a afirmar que "um competidor está tentando nos atacar com rumos falsos. A FTX está bem, os ativos estão bem, e a FTX tem o suficiente para cobrir todos os ativos de clientes". A exchange, porém, acabou declarando falência pouco depois após revelações de mau uso dos fundos dos clientes.

A Binance chegou a propor uma compra da FTX, mas o negócio não continuou. Dias depois, CZ fez um post no Twitter em que disse que "tinha pouquíssimo conhecimento de como as coisas andavam internamente na FTX" e que nunca "planejou" a queda da rival.

A melhor experiência e atendimento em português. Ninguém merece consultar o tradutor online enquanto tem problemas com o suporte, por isso, a Mynt tem atendimento humanizado 24 horas e em português. Abra sua conta e tenha uma experiência única ao investir em crypto.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok