ESG

Apoio:

logo_suvinil_500x252
Logo TIM__313x500
logo_unipar_500x313
logo_espro_500x313
logo_engie_500X252

Parceiro institucional:

logo_pacto-global_100x50

Carro elétrico: bateria mais barata impulsiona vendas, que chegarão a US$ 9 tri em 2030, diz BNEF

Estudo mostra que a demanda dos consumidores segue aquecida em todos os segmentos, do tuk-tuk ao caminhão

Recarga: avanço da tecnologia e redução do custo da bateria leva consumidores para a mobilidade elétrica (Leandro Fonseca/Exame)

Recarga: avanço da tecnologia e redução do custo da bateria leva consumidores para a mobilidade elétrica (Leandro Fonseca/Exame)

Rodrigo Caetano
Rodrigo Caetano

Editor ESG

Publicado em 12 de junho de 2024 às 08h00.

Última atualização em 12 de junho de 2024 às 10h23.

A Perspectiva de longo prazo para o mercado de veículos elétricos, segundo estudo da empresa de pesquisas BloombergNEF (BNEF), revela que a evolução da tecnologia de eletrificação e a queda nos preços das baterias estão impulsionando a adoção do transporte eletrificado em todos os mercados. No segmento de leves (passageiro), as vendas anuais devem para ultrapassar 30 milhões de unidades em 2027, no cenário base, com projeções de crescimento para 73 milhões até 2040.

Apesar do movimento em direção à demanda dos consumidores, fazer a transição dos combustíveis fósseis para o modelo elétrico ainda demanda apoio político forte e bem estruturado. A eletrificação dos transportes é parte dos esforços para atingir a meta global de emissões de carbono do Acordo de Paris.

Segundo a BNEF, para que a frota mundial tenha veículos totalmente sem emissões até 2050, as vendas de veículos a combustão precisarão ser interrompidas por volta de 2038. No Cenário de transição econômica, somente os países nórdicos estão encaminhados para eliminar por completo os veículos a combustão antes de 2038.

Mercados Emergentes

A eletrificação está se expandindo rapidamente entre diferentes setores do transporte rodoviário, abrangendo desde riquixás (os chamados tuk-tuk) até caminhões pesados. Observa-se um aumento contínuo nas vendas de veículos de duas e três rodas em economias emergentes, prevendo-se que a comercialização de veículos elétricos ultrapasse 90% globalmente até 2040.

No segmento de comerciais, que engloba vans, caminhões e ônibus, a transição já teve início e está prestes a acelerar. A rápida aceitação em diversas categorias cria uma oportunidade de mercado sem precedentes. Estima-se que o valor cumulativo das vendas de veículos elétricos em todos os segmentos possa alcançar os 9 trilhões de dólares até 2030 e 63 trilhões de dólares até 2050, segundo o Cenário de Transição Econômica (ETS) da BNEF.

Será necessário investir pelo menos 35 bilhões de dólares em fábricas de células e componentes de baterias até o final desta década, o que não será um problema, uma vez que as montadoras já anunciaram planos de investimentos que ultrapassam 150 bilhões de dólares.

Acompanhe tudo sobre:Carros elétricos

Mais de ESG

COP da biodiversidade, na Colômbia, é ameaçada por dissidentes das Farc

Água contaminada por elemento cancerígeno ameaça mulheres e crianças

Masculinidade tóxica: metade dos meninos tem dúvidas de que são amados pelo pai, aponta pesquisa

Limpeza do Rio Sena para as Olimpíadas de Paris ainda é desafio incerto

Mais na Exame