Pedro Parente diz que governo patinou no engajamento com reformas

O presidente da BRF defendeu as grandes reformas propostas pelo governo e avaliou que "atacaria com igual ênfase" as minirreformas

São Paulo — O presidente da BRF, Pedro Parente, avalia que o governo de Jair Bolsonaro “andou patinando na demonstração do verdadeiro engajamento” do Planalto para avançar com as reformas, mas conseguiu melhorar o discurso nos últimos dias. “Fiquei preocupado, mas agora estou menos preocupado”, disse durante evento do Bradesco BBI com investidores nesta quarta-feira, 3.

Parente defendeu não só o avanço de grandes reformas, como a da Previdência, mas também de medidas microeconômicas que facilitem e melhorem o ambiente de negócios no Brasil para o setor privado.

“Acho corretíssima a visão do governo de tocar as grandes reformas. A reforma da Previdência é absolutamente fundamental”, disse ele. “Mas eu atacaria com igual ênfase essas minirreformas”, afirmou ele ao ser perguntado sobre a agenda de medidas do governo de Jair Bolsonaro.

Ao tomar medidas para estimular o setor privado, o executivo observou que o governo não pode pensar que está “fazendo um favor ou estendendo o tapete vermelho”, porque essas medidas acabam criando empregos. “São reformas que podem dar impacto importante no ambiente de negócios e no crescimento da economia.”

Nos entraves ao setor produtivo, Parente mencionou que há algumas questões, desde órgãos reguladores que demoram a dar respostas para questões que podem destravar exportações rapidamente. Há pontos regulamentares que bastam mudanças em leis ou decretos para facilitar os negócios.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.