Nível de emprego na construção recua em todos os estados

O índice recuou 1,57%, com saldo entre demissões e contratações negativo em cerca de 54,9 mil trabalhadores

São Paulo - O nível de emprego na construção caiu em todos os Estados do País em novembro. Na comparação com o mês anterior, o índice recuou 1,57%, com saldo entre demissões e contratações negativo em cerca de 54,9 mil trabalhadores.

Segundo pesquisa do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP), em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV), ao final de novembro, o número de trabalhadores do setor somava 3,434 milhões.

O vice-presidente de Economia do Sinduscon-SP, Eduardo Zaidan, comenta que o resultado já era esperado. De acordo com ele, novembro é um mês em que, tradicionalmente, o número de demissões é maior que o de contratações, em função do término de obras. "O que deve ter voltado a acontecer em dezembro", afirma.

Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, no entanto, a pesquisa também indica queda de 2,94%, com saldo negativo de 103,8 mil vagas.

No acumulado de 2014, o índice apresenta queda de 0,14% em relação ao mesmo período do ano anterior. Até novembro, o saldo líquido de contratações está negativo em 14,8 mil vagas. No mesmo período de 2013, o setor registrava um saldo positivo de 141 mil vagas.

A região Norte foi a que registrou a maior queda no nível do emprego na construção civil. Foram demitidos 8,2 mil funcionários a mais do que contratados, resultado que representou uma recuo de 3,53% no índice entre outubro e novembro. Já o Nordeste registrou saldo negativo de 8,6 mil vagas e queda de 1,16% no indicador.

São Paulo

No Estado de São Paulo, o nível de emprego apresentou declínio de 1,05% em novembro ante outubro, com o saldo entre demissões e contratações negativo em 9 mil trabalhadores.

Com o resultado, o número de empregados na construção civil no Estado ao final de novembro somava 857,2 mil. Das dez regiões pesquisadas, apenas Santo André não apresentou retração no período.

No acumulado do ano em relação ao mesmo período do ano anterior, o indicador registrou baixa de 0,42%, com o corte de 3,9 mil vagas. Na comparação com novembro de 2013, quando o Estado registrava 871,9 mil trabalhadores, o levantamento apresentou baixa de 2,73%.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.