Indústria da UE acelera em fevereiro com aumento da demanda

O PMI final de indústria do IHS Markit saltou para a máxima de três anos de 57,9 em fevereiro ante 54,8 em janeiro

A atividade industrial da zona do euro acelerou em fevereiro graças à melhora da demanda, mostrou nesta segunda-feira a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês), embora o salto tenha levado a uma escassez de matérias-primas e alta dos custos de insumos.

O PMI final de indústria do IHS Markit saltou para a máxima de três anos de 57,9 em fevereiro ante 54,8 em janeiro e preliminar de 57,7. O resultado representa uma das leituras mais altas nos 20 anos de história da pesquisa.

O subíndice de produção avançou a 57,6 de 54,6, bem acima da marca de 50 que separa crescimento de contração.

"A indústria aparece como um ponto de destaque cada vez maior na economia da zona do euro até agora neste ano", disse Chris Williamson, economista-chefe do IHS Markit.

A forte demanda por bens industriais levou as fábricas a aumentar o nível de emprego pela primeira vez em quase dois anos.

Mas as medidas de lockdown afetaram as cadeias de oferta e as fábricas encontraram dificuldades para obter matéria-prima, levando a um forte aumento nos prazos de entrega.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.