Economia

Gastos dos consumidores dos EUA se recuperam em maio

Gastos do consumidor, que representam mais de dois terços da atividade econômica dos EUA, aumentaram 8,2%no mês passado

Pessoas circulam em Nova York durante pandemia do coronavírus: gastos do consumidor caíram 12,6% em abril, a maior queda desde que o governo começou a acompanhar a série em 1959 (Cindy Ord / Equipe/Getty Images)

Pessoas circulam em Nova York durante pandemia do coronavírus: gastos do consumidor caíram 12,6% em abril, a maior queda desde que o governo começou a acompanhar a série em 1959 (Cindy Ord / Equipe/Getty Images)

R

Reuters

Publicado em 26 de junho de 2020 às 10h01.

Última atualização em 26 de junho de 2020 às 10h05.

Os gastos dos consumidores norte-americanos se recuperaram acentuadamente em maio, mas os ganhos provavelmente não serão sustentáveis, visto que a renda está caindo e deve ter um declínio ainda maior à medida que milhões deixarem de receber os cheques de auxílio-desemprego a partir do próximo mês.

O Departamento de Comércio informou nesta sexta-feira que os gastos do consumidor, que representam mais de dois terços da atividade econômica dos Estados Unidos, aumentaram 8,2% no mês passado.

Os gastos do consumidor caíram 12,6% em abril, a maior queda desde que o governo começou a acompanhar a série em 1959.

Economistas consultados pela Reuters previam que os gastos dos consumidores aumentariam 9,0% em maio.

Acompanhe tudo sobre:ConsumoCoronavírusEstados Unidos (EUA)

Mais de Economia

Lula diz que a fome 'existe por decisão política' e quer tirar o Brasil do Mapa da fome até 2026

Taxação global de 2% sobre super-ricos arrecadaria de US$ 200 a US$ 250 bi por ano, diz Haddad

‘Problema dos gastos no Brasil não é ter os pobres no Orçamento’, diz Simone Tebet

Plano Real, 30 anos: Gustavo Loyola e as reformas necessárias para o Brasil crescer

Mais na Exame