Como enganar seu cérebro para descobrir se você cheira mal

Não adianta conferir embaixo do braço: seu cérebro não registra o próprio cecê. Mas uma xícara de café pode mudar isso

A paranoia do fedor persegue todo mundo, principalmente em dias de calor. Será que o desodorante das 7h ainda está dando conta às seis da tarde? É difícil dizer: seu cérebro é muito ruim em detectar seu próprio cheiro. Mas você pode contornar esse problema usando café.

É mais ou menos como seu nariz: você não está vendo ele enquanto lê esse texto. Mas ele está constantemente no seu campo de visão – o cérebro é que aprendeu a desconsiderá-lo ao interpretar o que seus olhos veem.

O olfato também se adapta. Os receptores que ligam seu nariz ao cérebro param de responder à mesma composição de cheiros diária que formam o seu personalíssimo futum – com exceção dos momentos de odor muito extremos.
Imaginando que você prefira tomar consciência do cheiro antes que ele chegue a esse ponto, existe uma forma de “resetar” o seu olfato e torná-lo mais sensível à você mesmo.

A dica é de Patrick Allan, do Lifehacker, que se baseou em uma tática usada por lojas de perfume. Algumas delas têm grão de café à disposição – e não é só para decoração. Entre um teste e outro de perfume, cheirar os grãos de café ajuda o olfato a diferenciar os dois odores.

Se estiver em dúvida sobre o status da axila, peça uma xícara de café no bar mais próximo. Com ela em mãos, inspire fundo o perfume do café.

O cheiro da bebida é forte e vem de uma única fragância. Com isso, seu nariz consegue dar uma folguinha para os receptores neurais.

Assim como o gengibre é usado na culinária japonesa para limpar o paladar entre um sabor e outro, o café faria o mesmo para cheiros.

E aí seu olfato ficaria um pouco melhor em reconhecer o seu próprio cecê. Só tenha um desodorante em mãos: com grande poderes vêm grandes responsabilidades.

Esta conteúdo foi originalmente publicado no site da Superinteressante.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.