Acompanhe:

Quer manter uma alimentação saudável? Comida congelada é opção

Inúmeras empresas têm oferecido kits de alimentação saudável congelados. Nutricionista fala sobre essa nova tendência

Modo escuro

Continua após a publicidade
 (Thinkstock Images/Thinkstock)

(Thinkstock Images/Thinkstock)

D
Daniela Barbosa

Publicado em 19 de setembro de 2017 às, 13h11.

São Paulo - A correria do dia a dia acaba limitando as horas gastas na cozinha para o preparo de uma alimentação realmente nutritiva. E muitas vezes comidas industrializadas e até fast food acabam sendo a salvação para aqueles que realmente não têm tempo para preparar uma refeição de qualidade.

A verdade é que não dá para viver comendo apenas alimentos com excesso de sódio e conservantes e por isso muita gente tem apostado nas famosas comidas ultracongeladas saudáveis.

No Brasil, inúmeras empresas surgiram com a proposta de oferecer alimentação nutritiva, saborosa e prática. Muitas delas, inclusive, montam pacotes para atender os mais diferentes perfis alimentares, como vegetariano, vegano e até com número reduzido de calorias para aqueles que desejam perder peso.

Mas será que as comidas ultracongeladas são realmente saudáveis? Dá para manter uma dieta equilibrada consumindo esse tipo de alimento? Para responder essas e outras questões, EXAME.com conversou com Elizabeth Vargas, nutricionista da Câmara Técnica do Conselho Regional de Nutrição.

De acordo com a especialista, é compreensível o aumento da demanda por esse tipo de produto. "O interesse por opções mais saudáveis de alimentação está associado, entre outras razões, ao elevado índice de sobrepeso e obesidade", afirma Elizabeth.

A nutricionista listou alguns mitos e verdades sobre alimentos congeladas, confira a seguir:

1 - Alimentos congelados perdem valor nutricional?

Mito. Desde que congelado a partir de técnicas corretas de preparo, é possível conservar textura e os nutrientes da maioria dos alimentos.

2 - Todos os alimentos podem ser congelados?

Mito. Alguns alimentos, como a batata e a alface, não ficam com textura e sabor agradáveis após o descongelamento. Por isso, o congelamento não é recomendado nesses casos.

3 - A forma de preparo do alimento interfere em seu valor nutricional?

Verdade. O valor nutricional depende muito mais da técnica de preparo do que do congelamento em si. Se o alimento passou por cozimento em altas temperaturas, irá perder as vitaminas que são sensíveis ao calor. Se foi cozido em água, irá perder os nutrientes solúveis em água.

4 - Embalagens de plásticos e descongelamento do alimento no micro-ondas são problemas?

Mito. Caso a embalagem seja apropriada para o micro-ondas, não há problemas. É muito importante seguir as recomendações de quem produziu o alimento. Algumas preparações ficam mais gostosas quando descongeladas de um dia para o outro na geladeira, mas nunca em temperatura ambiente.

5 - É possível manter uma dieta equilibrada com alimentos congelados?

Verdade. É sempre importante complementar as preparações quentes congeladas com saladas frescas e cruas, para garantir o consumo dos nutrientes sensíveis ao calor.

6 - Depois de descongelado, o alimento não deve ser congelado novamente?

Verdade. Alimentos que já foram congelados não devem ser descongelados e congelados novamente, uma vez que no processo de descongelamento as superfícies dos alimentos acabam descongelando de forma não uniforme ao centro geométrico dele o que faz com que aumente o risco de contaminação por bactérias.

Testamos

EXAME.com testou duas marcas de alimentos ultracongelados saudáveis: a Pronto Light e a Liv Up. Ambas as empresas oferecem um cardápio diversificado de pratos e mesmo após o descongelamento no micro-ondas, os sabores e texturas dos alimentos foram mantidos.

Últimas Notícias

Ver mais
Márcia Terra: não existe alimento certo e alimento errado
Um conteúdo Bússola

Márcia Terra: não existe alimento certo e alimento errado

Há 21 horas

No resultado histórico da BRF, efeito cíclico ou mudança estrutural?
Exame IN

No resultado histórico da BRF, efeito cíclico ou mudança estrutural?

Há 3 dias

Por que o setor de alimentos é carro-chefe na criação de empregos na indústria de transformação
Um conteúdo Bússola

Por que o setor de alimentos é carro-chefe na criação de empregos na indústria de transformação

Há uma semana

Faturamento da indústria de alimentos cresceu 7,2% em 2023, para R$ 1,161 trilhão, diz Abia
Economia

Faturamento da indústria de alimentos cresceu 7,2% em 2023, para R$ 1,161 trilhão, diz Abia

Há uma semana

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais