Acompanhe:

A tendência dos sneakers, termo em inglês que designa tênis, está conquistando cada vez mais o público jovem brasileiro. Essa nova moda tem se popularizado especialmente entre os membros da Geração Z, sendo facilmente identificada em plataformas de redes sociais como o TikTok. Entretanto, vale ressaltar que essa febre por tênis estilizados não é algo recente, remontando à década de 80. Os sneakers, antes associados predominantemente ao universo esportivo, transformaram-se em ícones da moda contemporânea.

O marco inicial desse fenômeno pode ser rastreado até o lançamento do Air Jordan 1 em 1985, fruto da parceria entre a Nike e o renomado jogador de basquete Michael Jordan. Esse evento não apenas marcou o início de uma mudança cultural, mas também se traduziu em um estilo de vida. Os números falam por si: mais de US$ 126 milhões em vendas apenas no primeiro ano.

Thiago Abreu, fundador da Agência Amithiva, destaca o papel crucial do marketing nesse fenômeno. "O apreço por tênis exclusivos transcende o mero gosto estético. Trata-se de um fenômeno cultural e identitário, no qual os consumidores buscam expressar sua personalidade por meio de produtos únicos", diz.

O movimento hip-hop também desempenha um papel significativo na disseminação da cultura dos sneakers, especialmente quando consideramos o estilo b-boy em Nova York nos anos 70. Naquela época, os membros desse movimento adotaram os tênis de basquete como forma de expressão, um fenômeno que se globalizou com a popularização dessa cultura.

Abreu destaca que, inicialmente, os artistas desempenharam um papel crucial na criação de valor, especialmente entre o público mais jovem. "Muitos dos sneakers mais reconhecidos atualmente foram inicialmente concebidos para as quadras de basquete, mas foram assimilados pela cultura hip-hop, influenciando um novo público. Desde artistas e dançarinos até astros do basquete, todos contribuíram para criar valor para toda uma geração."

O valor atribuído aos tênis, anteriormente vinculado principalmente ao desempenho esportivo, agora transcende as quadras. A cultura sneakerhead, como são conhecidos os entusiastas de tênis, baseia-se na raridade e autenticidade dos modelos. Os Jordans, por exemplo, alcançaram status de culto devido à combinação de design icônico e produção limitada.

Para Danielle Vilhena, head de marcas da Agência End to End, as novas gerações buscam produtos e marcas com valores e propósitos por trás dos seus negócios. “Ter uma narrativa sólida, com uma história original e verdadeira contada, é fundamental para as marcas construírem um posicionamento genuíno para esses jovens. O uso das redes sociais, como o TikTok, auxilia nessa abordagem, já que é uma plataforma que está diretamente ligada a esse público e permite que esse storytelling seja criado”, afirma Vilhena.

Contudo, as colaborações entre as marcas não se limitam a Michael Jordan. As marcas estão cada vez mais criando produtos em parceria com artistas de diversos segmentos. Além disso, alguns dos modelos tem se tornado febre entre essa nova geração, destacando-se o Adidas Samba, Nike Air Max e Adidas Forum Low.

“Os jovens sempre procuraram se diferenciar, e ao longo do tempo, a forma como o fazem, muda. Já se valeram de tatuagens, por exemplo, mas a comunicação hoje é instantânea e global, e o que é novo, diferente, deixa de os ser em pouco tempo. O dinamismo da troca de informações e imagens faz com que essa diferenciação tenha que se dar não só presencialmente, mas através de redes sociais, nas quais as pessoas interagem especialmente em eventos transmitidos ao vivo, como são os esportivos ou musicais. A collab recente entre Rihanna e uma fabricante de materiais esportivos para uma coleção que tem sneakers inspirados nas chuteiras que futebolistas usavam nas décadas de setenta e oitenta, é um exemplo perfeito dessas interações”, afirmou Thiago Freitas, COO da Roc Nation Sports no Brasil, empresa de entretenimento norte-americana, comandada pelo cantor Jay-Z, que se tornou acionista majoritária e controladora da TFM Agency, companhia com mais de vinte anos de experiência no futebol mundial e que gerencia as carreiras de Vini Jr, Lucas Paquetá, Endrick e Gabriel Martinelli.

No Brasil, a tendência ganhou maior visibilidade com a popularização do hip-hop nos anos 2000, mas parecia adormecida até a explosão de plataformas como o TikTok. No entanto, a febre por tênis de edição limitada parece ter chegado para ficar.

Os consumidores brasileiros, cada vez mais ávidos por produtos que representem não apenas um estilo, mas uma narrativa exclusiva, estão impulsionando esse movimento. Resta saber como as marcas continuarão a inovar e cativar essa crescente base de consumidores que valoriza não apenas o produto em si, mas a história que ele conta.

Para Marauê Carneiro, sócio-fundador da Kaxola e colunista de inovação, "quando se menciona a cultura sneaker, estamos nos referindo à cultura popular mais proeminente da atualidade. Com influência em várias comunidades, os sneakers são mais do que apenas arte; eles representam comportamento, inovação e moda. Como afirma o autor Mário Quintana: são os passos que traçam os caminhos”, afirmou.

Para Renê Salviano, CEO da Heatmap e especialista em marketing esportivo, os sneakerheads podem ser colecionadores, aficcionados por marcas ou até fashionistas.

"É uma comunidade interessante e que cresceu muito nos últimos anos. Enxergo com facilidade collab com artistas, atores, outras marcas, atletas, instituições desportivas ou qualquer outra comunidade que esteja em alta ou tenha grande força de conexão. Um ponto importante a se destacar é que as celebridades com alto poder de engajamento são empresas, e que cada vez mais, se tornarão um grande canal de comunicação e poder de influência sobre compras. Michael Jordan mostrou isto a décadas e está acontecendo com várias celebridades em diversos tipos de produtos; é identificar a comunidade, o produto que conecta e um bom marketing de lançamento e distribuição… acredito muito que no futuro, todo conteúdo será comprável pelas redes sociais. Renê Salviano, CEO da heatmap, agência especializada em captação de patrocínios que acaba de lançar uma frente para conectar celebridades às marcas", aponta.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Accor: rede francesa planeja inaugurar 12 hotéis no Brasil até o fim do ano
Casual

Accor: rede francesa planeja inaugurar 12 hotéis no Brasil até o fim do ano

Há 14 horas

Os 5 melhores filmes e séries para maratonar no fim de semana
Casual

Os 5 melhores filmes e séries para maratonar no fim de semana

Há um dia

A dama das artes: Raquel Arnaud comemora 50 anos de galeria com restrospectiva
Casual

A dama das artes: Raquel Arnaud comemora 50 anos de galeria com restrospectiva

Há um dia

Reversa, a linha feminina da Reserva, tem meta de ocupar espaço de 25% no grupo
Casual

Reversa, a linha feminina da Reserva, tem meta de ocupar espaço de 25% no grupo

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais