Orfeu cria projeto com pequenos produtores para ir além de seu terroir

Com o propósito de expandir o acesso ao consumo de cafés especiais, surge o Plano de Certificação Orfeu.

Cafés especiais: um convite para desbravar novos universos (iStock/Getty Images)

Cafés especiais: um convite para desbravar novos universos (iStock/Getty Images)

Carolina Gehlen
Carolina Gehlen

Head of Design

Publicado em 14 de abril de 2023 às 08h30.

Última atualização em 2 de maio de 2023 às 14h16.

Beber um café especial é como preparar uma viagem. Você define o destino, organiza o roteiro e é surpreendido por situações que não imaginava encontrar. A escolha do grão ou do pó, as surpresas do método de preparação, a temperatura da água, o cheiro da bebida; cada xícara é um convite para desbravar um novo universo.

Pensar nas experiências sensoriais e alcançar novos consumidores para terem acesso aos cafés especiais é o que tem feito a marca Orfeu. No mercado desde 2005, a empresa cultiva grãos de qualidade selecionada com o objetivo de manter no Brasil os melhores cafés produzidos em suas fazendas, localizadas nas montanhas do sul de Minas Gerais.

Expandindo as fronteiras

Na colocação de café brasileiro mais premiado no mundo, a marca teve um crescimento de 25% nas vendas de 2022, o que ampliou seus horizontes e foi o impulso para a criação do Programa de Certificação Orfeu, um projeto de longo prazo que viabiliza o crescimento da produção por meio da criação de uma rede de fornecimento de café verde que ultrapassa as fronteiras das fazendas, desenvolvendo pequenos produtores do entorno, elevando seu padrão de qualidade e estabelecendo práticas ambientalmente corretas e gestão responsável das pessoas.

Em entrevista à EXAME, Ricardo Madureira, CEO do Orfeu Cafés, vê esse projeto “como uma continuação do propósito da marca Orfeu em manter o melhor café brasileiro no país”. O programa está sendo estruturado há mais de um ano e carrega como base não apenas o abastecimento de produtos provenientes de novos terroirs como também amplifica sua relação com os pequenos produtores brasileiros por meio de desenvolvimento de estruturas, trato com o fruto, cuidado e atenção com trabalhadores e o meio ambiente. É uma relação com planos de melhoria para as duas partes.

Ricardo Madureira, CEO do Orfeu Cafés: propósito de expandir o acesso ao consumo de cafés especiais (Marcelo Tercetti/Divulgação)

Foram estabelecidos ferramentas e processos de avaliação de qualidade a partir de quatro pilares: Gestão, Práticas Agrícolas, Responsabilidade Social e Meio ambiente. Para cada um destes pilares, existem critérios que irão guiar na escolha e manutenção de fornecedores parceiros, garantindo o padrão de qualidade Orfeu. “Esperamos que a rede de produtores que venha ser construída seja de longuíssimo prazo”, complementa Ricardo.

A expectativa é de possibilidade para o desenvolvimento de novos cafés especiais dos mais diversos terroirs presentes nas diferentes regiões do Brasil com a curadoria Orfeu, tornando o campo fértil para novas descobertas e sabores.

Para o primeiro case do Plano de Certificação, Orfeu está desenvolvendo um microlote especial de grãos provenientes de um novo terroir, fornecido por um produtor parceiro. As informações estarão presentes nas embalagens de café, explicando o novo momento da empresa. O lançamento está previsto para o segundo semestre deste ano.

LEIA MAIS:
• Três cafeterias para conhecer no Porto
• Três cafeterias para conhecer em Bogotá

Acompanhe tudo sobre:CaféBebidas

Mais de Casual

Conheça o novo hotel de luxo na Faria Lima voltado às artes

“Temos esse jeito esportivo porque somos a Montblanc”, diz diretor de relógios da marca

Conheça a tendência do design italiano e aposta da Dolce & Gabbana

Os quatro segredos de viagem dos super ricos

Mais na Exame