Casual

Fotografia histórica de primeira-dama dos EUA pode valer US$ 70 mil

Dolley Madison criou o papel de primeira-dama como o conhecemos hoje; entenda como isso aconteceu

Dolly Madison em pintura de 1804; super-anfitriã e a "face mais suave do poder"

Dolly Madison em pintura de 1804; super-anfitriã e a "face mais suave do poder"

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 12 de junho de 2024 às 10h51.

Por volta de maio de 1846, Dolley Madison, esposa do então presidente James Madison, saiu de sua casa, perto da Casa Branca, em Washington, e foi até o estúdio de um fotógrafo que havia iniciado um trabalho de criar uma publicação diária apresentando retratos de “personagens públicos interessantes”. O esforço logo não deu em nada e as as imagens capturadas naquele dia desapareceram na história.

Porém, o retrato de Madison feito naquele dia será leiloado pela Sotheby’s, que o classifica como a primeira fotografia conhecida de uma primeira-dama nos EUA.

Segundo New York Times, os lances online começam nesta quarta e podem chegar a um valor de até US$ 70 mil. Emily Bierman, chefe global do departamento de fotografia da casa de leilões, chama-o de “o retrato fotográfico mais importante e emocionante lançado no mercado desde John Quincy Adams”.

De John Quincy Adams, Bierman se refere à imagem fotográfica mais antiga conhecida de um presidente – que a Sotheby’s vendeu em 2017 por US$ 360.500, incluindo o prêmio do comprador.

Ainda segundo o NYT, a imagem de Madison veio à tona quando os vendedores, que a Sotheby’s não identificou, limpavam um porão após a morte de um parente. Eles enviaram uma digitalização para o portal de estimativas on-line da Sotheby’s, sugerindo que ela mostrava a ex-primeira-dama.

Muitas pessoas que enviam fotografias à casa de leilões pensam ter encontrado uma imagem rara de Abraham Lincoln ou Jesse James. (“Os bandidos em geral são muito populares”, disse Bierman.) Normalmente, é apenas um ancestral aleatório do século XIX. Mas olhando para o “JPEG bastante terrível”, disse Bierman, ela percebeu que "poderia ter algo ali".

Dolley Madison criou o papel de primeira-dama como o conhecemos hoje - o de super-anfitriã e a face mais suave do poder. (O título foi cunhado no elogio do presidente Zachary Taylor em 1849, que saudou Madison como “a primeira-dama da terra por meio século”.)

A marca de padaria Dolly Madison, fundada em 1937, aproveitou sua reputação elegante, com o slogan “ Bolos e doces bons o suficiente para serem servidos na Casa Branca.”

Existem várias imagens fotográficas dela, incluindo duas bem conhecidas de Mathew Brady, tirados em 1849, alguns meses antes de sua morte. Essas imagens, agora no Museu de História de Greensboro, na Carolina do Norte, surgiram em 1956, quando descendentes da sobrinha favorita de Madison encontraram algumas relíquias num baú escondido dentro de uma parede.

Acompanhe tudo sobre:Estados Unidos (EUA)Fotografia

Mais de Casual

3,5 mil quartos e R$ 100 milhões em reformas: os planos da Meliá para o Brasil

Senna e filme sobre Fórmula 1: como o esporte tem se tornado tendência nos streamings e cinemas

Os 5 melhores filmes e séries para maratonar no fim de semana

Jefferson Rueda volta ao comando da Casa do Porco com novo menu ainda mais do 'interior'

Mais na Exame