Casual

A Tudor se descola da irmã mais velha Rolex e apresenta relógios mais sofisticados

Manufatura suíça lança modelos mais sofisticados, como um novo GMT monocromático e um Black Bay em ouro, no salão Watches & Wonders

Tudor: Clair de Rose. (Tudor/Divulgação)

Tudor: Clair de Rose. (Tudor/Divulgação)

Ivan Padilla
Ivan Padilla

Editor de Casual e Especiais

Publicado em 10 de abril de 2024 às 13h14.

Última atualização em 2 de maio de 2024 às 16h54.

Tudo sobreRelógios
Saiba mais

GENEBRA. A Tudor é aquela caçula que vivia à sombra e procurava imitar sua irmã mais velha, no caso a Rolex. Mas a cada ano a manufatura suíça aumenta o portfólio, lança modelos mais sofisticados e ganha uma identidade própria, ainda que com o mesmo DNA.

No salão Watches & Wonders, em Genebra, que este ano acontece entre 9 e 13 de abril, a Tudor caprichou nas novidades e surpreendeu revendendores e jornalistas especializados. Positivamente. Não em quantidade, mas em diversidade mesmo de produtos.

Há quem veja cada vez mais similaridade com a Rolex nesse processo. Meu entendimento é que a Tudor tem se posicionado cada vez mais como uma opção de marca de relógios e menos como um complemento. Confira as novidades apresentadas no evento.

Black Bay 58 GMT

Black Bay 58 GMT (Tudor/Divulgação)

O novo modelo com função GMT, destinada aos viajantes, vem com certificação Master Chronometer, caixa versátil de 39 milímetros de diâmetro e uma luneta bidirecional graduada de 24 horas com tons quentes, vermelho, preto e detalhes em dourado, característicos da época dourada da aviação.

O nome Black Bay 58 é uma alusão ao ano de 1958, data em que foi lançado o primeiro relógio de mergulho Tudor com estanquidade até 200 metros. Na coroa, o logotipo da rosa Tudor vem em relevo. O mostrador preto mate é ligeiramente côncavo, com apontamentos dourados, com ponteiros “snowflake”, um marco dos relógios de mergulho Tudor introduzido em 1969, com revestimento Super-LumiNova fluorescente.

O calibre de manufatura tem certificação COSC (Official Swiss Chronometer Testing Institute), reserva de marcha de 65 horas e Certificação Master Chronometer do METAS. Tem dois braceletes à escolha: um em aço inoxidável com três elos com rebites ou outro em borracha, ambas equipadas com o fecho Tudor “T-fit” de ajuste rápido.

Black Bay

Black Bay. (Tudor/Divulgação)

A Tudor lança um novo Black Bay em versão monocromática. O Black Bay original foi lançado pela primeira vez em 2012 e, em 2016, passou a usar calibre de manufatura. Agora, vem nesta terceira evolução, que consolida a estética da linha.

Essa nova versão monocromática é realçado por um mostrador preto carregado, no qual marcadores e ponteiros são revestidos a ródio. As proporções originais do Black Bay, com caixa de 41 milímetros em aço inoxidável, foram mantidas. A luneta preta unidirecional graduada de 60 minutos traz apontamentos prateados.

O mostrador raiado em preto, ligeiramente côncavo, tem acabamento acetinado e escovado. Os ponteiros “Snowflake”, um marco dos relógios de mergulho TUDOR introduzido em 1969, foram mantidos, agora com revestimento Swiss Super-LumiNova® fluorescente.

O calibre de manufatura com certificação COSC (Official Swiss Chronometer Testing Institute) e Certificação Master Chronometer do METAS tem reserva de marcha de 70 horas. São três opções de bracelete : um em aço inoxidável com três elos com rebites, outro com cinco elos e outro em borracha, todos com fecho Tudor « T-fit” de ajuste rápido.

Black Bay 58 18K

Tudor: Black Bay 58 18k. (Tudor /Divulgação)

A Tudor apresenta uma nova versão mais arrojada do icônico modelo Black Bay 58. Pela primeira vez um relógio da marca é feiro inteiramente em ouro amarelo de 18 quilates. O lançamento vem com fundo de caixa aberto e calibre de manufatura, com bracelete em ouro maciço e fecho “T-fit”.

O nome Black Bay 58 18K é uma alusão ao metal precioso da caixa e do bracelete, mas também ao ano de 1958, data em que foi lançado o “Big Crown” (referência 7924), o primeiro relógio de mergulho Tudor estanquidade de 200 metros.

A caixa de 39 é de milímetros, com acabamento acetinado e fundo de caixa aberto. O mostrador côncavo em tom “verde-dourado” mate tem marcadores das horas com apliques em ouro amarelo de 18 quilates. Os ponteiros “snowflake”, um marco dos relógios de mergulho Tudor, introduzido em 1969, também vem em ouro amarelo de 18 quilates, com revestimento Swiss Super-LumiNova® fluorescente.

O calibre de manufatura tem certificação COSC (Official Swiss Chronometer Testing Institute), espiral de silício e reserva de marcha de 70 horas. O bracelete é de de três elos. A luneta também vem com luneta em tom “verde-dourado”, fundindo-se com o ouro mate dos detalhes.

Clair de Rose

Clair de Rose. (Tudor/Divulgação)

A Tudor revisita a feminina linha Clair de Rose, de inspiração art decó, com a adição de novos mostradores de cor azul. Disponíveis exclusivamente em aço inoxidável com movimentos mecânicos, as novas configurações são propostas em três tamanhos, cada uma delas com dois designs à escolha.

Clair de Rose é fruto de um jogo de palavras poético e divertido, já que faz referêrencia ao clair de lune (luar, em francês) e ao logotipo histórico da marca, a rosa.

Disponível em três tamanhos, 26, 30 e 34 milímetros de diâmetro, apresenta mostradores opalinos, bem como o novo mostrador azul, inédito para a marca. A caixa em aço inoxidável tem acabamento escovado e acetinado. O calibre de corda automática T601 ou T201 tem reserva de marcha de 38 horas. Vem com bracelete com cinco elos em aço inoxidável “grão de arroz”.

O jornalista viajou a convite da organização do salão Watches & Wonders

Acompanhe tudo sobre:RelógiosLuxo

Mais de Casual

A discreta Shoulder quer levar a moda para a mulher comum. E fazer barulho

Filme, arte e literatura: confira indicações culturais para o final de semana

Roku Gin convida 60 bares do Brasil para a criação de drinques inspirados nas quatro estações

Exposição mostra olhar de Sebastião Salgado sobre Revolução dos Cravos

Mais na Exame