Carreira
Acompanhe:

"Posto que": você sabe como usar a expressão? Professor de português ensina

Essa locução equivale a “ainda que”, “mesmo que”, “embora”, “apesar de que”; é concessiva, de oposição ideológica

 (Deagreez/Getty Images)

(Deagreez/Getty Images)

D
Diogo Arrais, professor de português (@diogoarrais)

6 de dezembro de 2022, 19h01

Pede um querido leitor que eu aborde o lógico e correto uso da expressão “posto que”. Essa locução equivale a “ainda que”, “mesmo que”, “embora”, “apesar de que”; é concessiva, de oposição ideológica.

“Os preços aumentaram Brasil afora, posto que o país não estivesse em crise.”

LEIA TAMBÉM:

Nesse período, vale destacar também o uso da palavra “afora. Afora pode ser classificada morfologicamente como advérbio ou como preposição. Como advérbio:

"Apresentou-se Brasil afora e sumiu depois."

Nesse caso, o termo tem o sentido de "por toda a extensão".

Como preposição, o sentido será como "com exceção de" ou "além de":

"Afora esse termo, temos a mesma ideologia."

"Afora ser o tópico mais complexo, Sintaxe demanda muita prática."

Retomando a ideia dos conectivos concessivos, existe também um termo muito abordado em processos seletivos: malgrado.

"...ou dizem a verdade à criança, ou ela, malgrado o segredo, adivinha-a."

Pois bem: malgrado é sinônimo de “não obstante”, “apesar de” e... “posto que”.

Quem pretende seguir a carreira pública precisa aprofundar-se no conhecimento das estruturas concessivas.

Um grande abraço, até a próxima e inscreva-se no meu canal!

DIOGO ARRAIS
http://www.ETIMO.com.br
YouTube: MesmaLíngua
Professor de Língua Portuguesa

Inscreva-se e receba por e-mail dicas e conteúdos gratuitos sobre carreira, vagas, cursos, bolsas de estudos e mercado de trabalho.