Quer estudar no Canadá? Número de brasileiros estudando no país deve crescer 30% em 2022

Além de permitir a ida de filhos e cônjuges, visto de estudo no Canadá também dá direito a permissão para trabalhar proporcional ao tempo de curso. Veja quais os pré-requisitos e dicas para emigrar para o país como estudante
Cidade de Québec, no Canadá: país deve receber mais de 1 milhão de imigrantes até 2023 (Yanis Ourabah/Getty Images)
Cidade de Québec, no Canadá: país deve receber mais de 1 milhão de imigrantes até 2023 (Yanis Ourabah/Getty Images)
L
Luciana Lima

Publicado em 06/08/2022 às 11:00.

Última atualização em 08/08/2022 às 11:51.

Não é de hoje que o Canadá atrai pessoas interessadas em trilhar uma carreira internacional. Com uma das populações mais envelhecidas do mundo, ainda no ano passado o país afirmou que espera receber mais de 1 milhão de imigrantes até 2023, 20% a mais que o esperado em 2020.

VEJA TAMBÉM:

E muitos brasileiros têm enxergado nos programas de graduação e pós-graduação o caminho para se mudar para o país da América do Norte. Segundo dados da agência de viagens e intercâmbios STB, o número de embarques de brasileiros que vão para o país para estudar vêm crescendo ano após ano.

Em 2019, a porcentagem de brasileiros que se matricularam em cursos de universidades canadenses cresceu 20%. Em 2020, mesmo no auge da pandemia, esse patamar avançou outros 10%.

Em 2021, em boa parte por conta da reabertura das fronteiras, o salto foi de 90%. E, para 2022, a projeção é que o número de brasileiros embarcando para o Canadá cresça outros 30% em relação ao ano passado.

É possível trabalhar e estudar no Canadá?

Camilla Gouveia, Gerente do STB Universidades, cita que entre as facilidades de estudar no Canadá está o fato de que, diferente de outros países, o visto de estudo autoriza o embarque de filhos e cônjuges junto de quem está imigrando.

"Para filhos de até cinco anos há, ainda, gratuidade nas escolas públicas. Fora isso, enquanto o estudante pode trabalhar apenas um período do dia, o cônjuge pode conseguir empregos em tempo integral. Esse contexto acaba sendo um grande atrativo e, por isso, muitos enxergam no ensino superior uma porta de entrada", diz Camilla.

No país, existem dois tipos de instituições de ensino superior, as Universidades propriamente ditas e os Colleges, instituições mais voltadas para o mercado de trabalho.

Depois que o estudante se forma, recebe uma permissão de trabalho, em um programa batizado de Post-Graduation Work Permit Program (PGWP). A duração do visto é proporcional ao período do curso e pode chegar até três anos, também extensível ao cônjuge.

Este foi o caso da brasileira Julie Anjos, de 31 anos, que está no Canadá desde 2019. Formada em gastronomia, a jovem não se identificou com a carreira na área culinária e, ainda no Brasil, migrou para finanças.

Há três anos, sentindo falta de uma experiência mais focada em negócios e com o desejou de voltar a morar fora, algo que já tinha feito com 16 anos no próprio Canadá, Julie pediu demissão da empresa de consultoria em que trabalhava em São Paulo e se inscreveu em um curso na área de negócios em um college do país.

"O curso me deu uma experiência muito boa, principalmente quando o assunto era aplicar para vagas. Aqui, para conseguir emprego, você precisa de uma carta de apresentação, por exemplo, além de outras especificidades", diz.

"Fora isso, o sistema de vistos de Canadá funciona por meio de pontos e, sem o college, não conseguiria atingir esse mínimo para aplicar para a autorização de trabalho", completa.

Depois que concluiu o curso, Julie conseguiu um estágio no escritório canadense de uma empresa desenvolvedora de softwares brasileira e, hoje, já foi promovida a analista.

"O Canadá é muito aberto para imigrantes, então, você não vê muita xenofobia como em outros países. Mesmo assim é preciso vir preparado porque nos primeiros meses você pode se sentir solitário, sem contar que a comida é muito diferente", afirma Julie.

Quais são os requisitos para estudar no Canadá?

Os requisitos vão depender da província e instituição escolhida: algumas exigem alguns pré-requisitos diferentes de acordo com o curso, mas em geral, é preciso realizar uma prova de proficiência em inglês e preencher uma série de formulários.

O prazo para a devolutiva das aplicações costuma girar em torno de oito semanas, mas Camilla, do STB Universidades, diz que o ideal é começar o processo com pelo menos um ano de antecedência por conta da concorrência acirrada.

"Os estudantes, geralmente, levam bastante tempo para reunir a documentação necessária e conseguir as cartas de recomendação, por exemplo. Fora isso, normalmente, os cursos tem apenas 30% de estudantes internacionais, porque o governo canadense abre vagas e turmas muito alinhado com a capacidade do mercado de trabalho absorver", diz.

Assim como os requisitos, os valores para estudar no Canadá também variam de acordo com fatores como instituição, curso e província e escolhida, indo de 15 mil a 50 mil dólares por ano.

"Até por isso, vemos uma tendência de alunos escolhendo cidades secundárias, mas próximas dos grandes centros, como Waterloo e London, por exemplo", finaliza Camilla.

Inscreva-se e receba por e-mail dicas e conteúdos gratuitos sobre carreira, vagas, cursos, bolsas de estudos e mercado de trabalho.