Exame logo 55 anos
Remy Sharp
Acompanhe:
seloCarreira

Após adotar semana de trabalho de 4 dias, empresas brasileiras veem produtividade aumentar

Na Vockan, empresa que reduziu jornada do time de atendimento, número de chamados atendidos no prazo esperado aumentou de 89% para 93%. Satisfação e engajamento dos times também cresceram

Modo escuro

Continua após a publicidade
Empresas que adotam semana de trabalho de quatro dias relatam aumento da satisfação e engajamento dos times  (Olga Strelnikova/Getty Images)

Empresas que adotam semana de trabalho de quatro dias relatam aumento da satisfação e engajamento dos times (Olga Strelnikova/Getty Images)

Um final de semana estendido é o sonho de muitos profissionais — e desde novembro do ano passado essa é a realidade de alguns funcionários da Vockan, empresa de tecnologia que desenvolve sistemas de ERP e soluções para a indústria de manufatura, com sede em São Paulo.

Entre novembro do ano passado e março deste ano, a companhia, que possui 100 funcionários, realizou um projeto piloto e reduziu de 5 para 4 dias a semana de trabalho de cerca de dez funcionários da área de suporte ao cliente, sem a diminuição de salário.

“Percebemos que o time suporte, dentro da empresa, era um dos que mais estavam estressados e com dificuldade de se adaptar ao modelo híbrido. Algo que tem um impacto direto no negócio porque são eles que lidam com o cliente final”, diz Fabrício Oliveira, CEO da Vockan.

Fabricio Oliveira, CEO da Vockan: empresa adotou semana mais curta para motivar funcionários

Para conciliar um período de descanso maior dos funcionários e, ao mesmo tempo, garantir que não houvesse impacto na operação, a Vockan estabeleceu escalas. Metade do time, então, passou a folgar na segunda-feira e outra metade na sexta-feira.

Além do desafio logístico para continuar funcionando normalmente, Oliveira conta que enfrentou a resistência dos líderes que temiam que a produtividade caísse.  “Alguns chegaram a questionar: mas se eles estão com dificuldades para entregar resultados trabalhando cinco dias por semana, imagina como será com a jornada de apenas quatro dias?”, afirma.

Mesmo assim, o executivo insistiu na ideia. “Eu já sabia que existiam empresas adotando um jornada reduzida fora do Brasil. Além disso, também tomamos o cuidado de começar com uma área e testar o modelo antes de implementar na empresa toda”, diz Oliveira.

Jornada de trabalho de 4 dias aumentou satisfação

Logo após o início do programa, a Vockan se tornou a primeira empresa brasileira a se filiar à 4 Day Week Global, organização sem fins lucrativos, sediada na Nova Zelândia, que realiza testes com empresas ao redor do mundo que adotaram a jornada de 4 dias de trabalho.

Segundo um estudo conduzido pela organização, em parceria com pesquisadores das universidades de Cambridge, Oxford e do Boston College, 39% dos profissionais de empresas do Reino Unido que adotaram a semana de trabalho de quatro dias relataram menos estresse e 71% reduziram seus níveis de esgotamento.

A 4 Day Week Global também irá avaliar o impacto da redução de jornada na Vockan, em uma análise que contará com empresas portuguesas que também adotaram a semana de quatro dias. Por enquanto, dados preliminares coletados pela própria Vockan mostram que o projeto foi bem-sucedido.

De acordo com a companhia, após cinco meses do projeto, a satisfação dos funcionários, métrica que engloba questões como gestão do tempo, avaliação da saúde física e mental, subiu de 54% para 70% entre aqueles que participaram do piloto. A percepção sobre o equilíbrio entre vida pessoal e trabalho também cresceu de 57% a 86%.

Somado a isso houve uma melhora na produtividade do time, que passou a atender 93% dos chamados durante o prazo esperado — antes do piloto, esse índice era de 89%. Com os resultados, em março o projeto piloto foi convertido em política definitiva pela Vockan e, agora, a ideia é expandir a prática para outras áreas da empresa.

“O nosso maior desafio é com o time de consultoria, que está em campo visitando o cliente, mas a ideia é que todas as áreas adotem a jornada de quatro dias. Em breve, devemos implementar a redução para o time de Recursos Humanos”, afirma Oliveira.

De acordo com executivo, além de impactar o engajamento e a qualidade de vida dos profissionais, a ideia da prática também é atrair talentos no disputado mercado de tecnologia.

“Tem muita empresa que enxerga uma semana de trabalho de quatro dias como um custo extra. Mas, olhando os dados, além de não haver impacto na receita, a produtividade aumentou”, diz Oliveira. “Além disso, a prática vai trazer ganhos em termos de retenção e atração de talentos. Mesmo na área tech, o meu maior ativo são as pessoas. E pessoas esgotadas ou insatisfeitas impactam o negócio”, afirma.

Semana de quatro é aprovada por outras empresas no Brasil

Incensada como uma das tendências que vão remodelar o jeito de trabalhar, a redução da jornada de trabalho ainda parece uma realidade distante para a maioria dos profissionais. No Brasil, apenas três em cada dez pessoas acreditam que as empresas vão acabar com o expediente de cinco dias de trabalho criado há mais de um século pelo americano Henry Ford.

Apesar disso, a prática começa a se popularizar, principalmente entre as empresas de tecnologia. E algumas delas, assim como a Vockan, já possuem resultados do modelo para compartilhar. Na Efí (antiga Gerencianet), fintech mineira que, em julho do ano passado reduziu a jornada de trabalho para quatro dias por semana, a prática foi aprovada pelos gestores.

Escritório da Efí (antiga Gerencianet), em Ouro Preto (MG): depois de seis meses, gestores aprovam resultados da  jornada reduzida

Segundo uma pesquisa realizada com 50 líderes da empresa, após a jornada mais curta 94% deles acreditam que houve um impacto médio ou alto na qualidade do trabalho realizado pelas equipes.

Outros 86% consideraram que houve manutenção ou aumento da produtividade e 88% consideraram que os funcionários se ausentaram menos do trabalho durante o expediente para resolver questões pessoais.

Em relação à satisfação dos profissionais, 98% dos líderes consideraram que houve considerável ou alto impacto na satisfação no trabalho de seus liderados, enquanto 96% consideraram que houve considerável ou alto impacto no senso de pertencimento.

A empresa também identificou, ainda, que houve uma redução de 87% nos desligamentos voluntários no segundo semestre de 2022 em comparação ao mesmo período de 2021.

"Os números apurados não poderiam ser diferentes, pois entendemos que a mudança proporciona múltiplos benefícios aos nossos funcionários, que retornam ao trabalho mais motivados e descansados, o que faz total diferença para o dia a dia de trabalho”, afirma o CEO, Evanil Paula.

O executivo faz questão de salientar que a Efí encerrou 2022 com um volume transacionado de R$ 21 bilhões, um crescimento de 40% frente ao mesmo período do ano anterior.


Inscreva-se e receba por e-mail dicas e conteúdos gratuitos sobre carreira, vagas, cursos, bolsas de estudos e mercado de trabalho.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Quer pular Carnaval em qualquer lugar do mundo? Veja as vagas de home office desta semana

seloCarreira

Quer pular Carnaval em qualquer lugar do mundo? Veja as vagas de home office desta semana

Há 9 horas

Conselho as a Service: entenda a estratégia das PMEs em optar por um conselheiro sob demanda

seloCarreira

Conselho as a Service: entenda a estratégia das PMEs em optar por um conselheiro sob demanda

Há um dia

Estratégias de Integração de Equipe: Dinâmicas Divertidas para Engajar Seu Time

seloCarreira

Estratégias de Integração de Equipe: Dinâmicas Divertidas para Engajar Seu Time

Há 2 dias

Na contramão do etarismo: conheça a carreira que valoriza profissionais 50+

seloCarreira

Na contramão do etarismo: conheça a carreira que valoriza profissionais 50+

Há 2 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

A regulamentação de cigarros eletrônicos pode trazer mais segurança para o consumidor?

A regulamentação de cigarros eletrônicos pode trazer mais segurança para o consumidor?

Escritórios Verdes, da JBS, regularizam 8 mil fazendas
EXAME Agro

Escritórios Verdes, da JBS, regularizam 8 mil fazendas

“Deixei o mundo corporativo para empreender com a Herbalife”

“Deixei o mundo corporativo para empreender com a Herbalife”

Loja pop-up da Lacoste em Trancoso conecta a marca com o verão brasileiro

Loja pop-up da Lacoste em Trancoso conecta a marca com o verão brasileiro

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais