Bússola
Acompanhe:
Um conteúdo Bússola

Gustavo Braga: Por que é importante fazer a gestão de capital humano

A capacidade de cada profissional é tão valiosa que pode ser pensada como algo a ser capitalizado

 (Harbucks/Getty Images)

(Harbucks/Getty Images)

G
Gustavo Braga

Publicado em 6 de dezembro de 2022, 20h00.

Gerir o capital humano é a base para o crescimento da organização, afinal as pessoas são responsáveis pelo dia a dia dos negócios. Mesmo com tantas inovações na rotina das empresas, a tecnologia não substitui os profissionais de carne e osso em suas tarefas, isso prova o quão indispensável e fundamental é o capital humano na criação de novas formas de produzir, investir e atingir o público  Por isso, gestores e empresas de todos os ramos estão entendendo que é preciso oferecer um olhar mais cuidadoso e estratégico para o assunto, sendo assim, isto deve ser visto como um dos principais diferenciais que uma empresa pode ter. E, por ser um bem tão valioso, tem que ser tratado com responsabilidade pela gestão de pessoas, pois esse é o setor que irá criar o ambiente adequado para os profissionais desenvolverem suas habilidades.

No geral, o capital humano é o conjunto de competências, conhecimentos e habilidades dos profissionais que fazem parte da organização, ou seja, é a combinação das qualidades dos profissionais, somados à capacidade de: desenvolver as atividades conforme as necessidades do projeto, gerar inovação e melhoria nos processos, produtos e serviços e realizar o trabalho alinhado aos objetivos e metas da empresa. Esses componentes ajudam o colaborador a desempenhar suas atividades e contribuir efetivamente para os objetivos e metas do negócio.

Qual é a importância da gestão de capital humano?

Em um mercado pautado pelo conhecimento e que depende de informações e capacidades de alto nível, a gestão de capital humano se torna prioridade, sendo considerada uma das principais medidas do planejamento estratégico. Perceber a necessidade de cada colaborador e promover um ambiente saudável são responsabilidades da gestão e RH, mas muitos líderes ainda não sabem como se organizar para obter o melhor desta estratégia.

O capital humano está relacionado ao perfil de cada pessoa, o que leva em conta as experiências e aprendizados ao longo de sua trajetória profissional, por isso, é importante entender o posicionamento de cada um dentro do negócio, para que a empresa consiga ir mais longe, movida pelo seu time. Para deixar o conceito mais claro: a capacidade de cada profissional é tão valiosa que pode ser pensada como algo a ser capitalizado. É nesse sentido que o papel da liderança importa tanto, pois é o que coordena tudo isso de forma inteligente.

Independente do porte do negócio ou área de atuação, ignorar a importância desta estratégia pode ser prejudicial para a companhia. A longo prazo, não será possível atingir as metas esperadas e a concorrência ganhará espaço. Por outro lado, dentre os principais benefícios na rotina de trabalho estão:

  • Aumento da motivação e desempenho dos profissionais
  • Desenvolvimento natural e gradativo de novos líderes
  • Melhoria na qualidade das entregas e produtividade
  • Crescimento profissional e maior retenção de talentos
  • Comprometimento para alcançar os objetivos da empresa
  • Equilíbrio entre as expectativas dos colaboradores e da empresa
  • Alinhamento com a cultura organizacional e qualidade de vida no trabalho

O papel do RH

Essa é uma estratégia que deve começar pelo setor de RH, mas não pode parar nele. O setor de Recursos Humanos tem o papel de orientar e facilitar o processo para os líderes, mas eles também devem estar engajados em todo o processo de atração, retenção e gestão de talentos. Dessa forma, é possível superar gargalos e contar com os colaboradores que estão dispostos a participar do crescimento do negócio.

O primeiro passo para a gestão de capital humano é promover oportunidades para a geração de novos conhecimentos para os colaboradores, o que também serve de subsídio para a divulgação da marca empregadora. A partir desse momento, o setor de RH inicia o processo de identificar, adquirir, motivar e reter os talentos. Pois, não basta somente selecionar o profissional ideal para uma vaga, embora isso também seja essencial, é preciso desenvolver suas habilidades e garantir que a pessoa esteja satisfeita e motivada naquela jornada.

Para isso, os gestores que estão ao lado desses profissionais todos os dias, devem entender que é necessário investir no seu desenvolvimento, como, por exemplo, com cursos e palestras. Assim, a empresa conquista um quadro de colaboradores mais qualificado e valorizado. Apesar de simples, esse é um dos pontos mais importantes da gestão de pessoas.

A gestão

Apesar do protagonismo do RH na gestão de capital humano, a estratégia não cabe somente a esse setor. As lideranças são parte fundamental, se comprometendo com o papel de gestão, desenvolvimento e acompanhamento dos talentos dentro dos times.

Uma ação importante neste processo é reforçar a ideia de constante aprendizado e capacitação, que pode ser feito por meio de visitas de benchmarking externo, incentivos a mentorias e troca de conhecimentos entre os times, parcerias educacionais com descontos para os colaboradores, valorização de profissionais que buscam pós-graduação e novas especializações e flexibilidade para que aos profissionais fazerem cursos e workshops em horário de trabalho, por exemplo. Existem muitas formas de incentivar os colaboradores a buscar conhecimento e se aprimorar. Uma delas é acompanhar o desempenho desse profissional, traçando o seu Plano de Desenvolvimento Individual (PDI) para obter uma linha da evolução ao longo do tempo na empresa.

Tudo vai depender da criatividade e abordagem adotada pelo RH e lideranças para incentivar o aprimoramento da equipe, buscando a renovação e atualização dos conhecimentos. É importante medir os resultados e acompanhar o desenvolvimento por meio de dados que demonstrem essa evolução dentro da respectiva função exercida pelo colaborador. Com um diagnóstico em mãos, é mais simples identificar o que há de problema e desenvolver ações de correção para serem colocadas em prática.

*Gustavo Braga é CMO da Pontomais

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

VEJA TAMBÉM: