Bússola

Um conteúdo Bússola

Afinal, qual é a jornada de incentivo?

Entenda por que a retenção de talentos precisa ser a meta das empresas em 2023

Poucos trabalhadores se sentem motivados para trabalhar (Carol Yepes/Getty Images)

Poucos trabalhadores se sentem motivados para trabalhar (Carol Yepes/Getty Images)

Bússola
Bússola

Plataforma de conteúdo

Publicado em 22 de fevereiro de 2023 às 18h30.

Segundo o relatório “State of the Global Workplace”, produzido pela Gallup, apenas 21% dos colaboradores estavam engajados com o trabalho que realizavam em suas respectivas empresas em 2022, sendo que 33% não consideravam as suas atividades significativas. Esse cenário se torna mais grave quando olhamos para outro estudo, realizado pela Universidade de Oxford, que mostra que os funcionários conseguem ser 13% mais produtivos justamente quando estão felizes.

Marcas de vários segmentos estão sentindo os efeitos desses números de perto, o que tem levado boa parte delas a implementar soluções para garantir que a meta de engajamento de suas equipes seja cumprida. E uma das mais conhecidas, justamente por priorizar totalmente o time, é o marketing de incentivo. Nela, a ideia principal é manter uma boa experiência do público interno ao longo de toda sua jornada profissional, de modo que os talentos contratados não apenas sejam mantidos por muito tempo, mas constituam parte integrante do crescimento dos negócios. Pessoas sempre foram, são e serão o coração de toda organização!

É importante entendermos que uma campanha feita para incentivar o funcionário a perseguir resultados melhores no seu desempenho envolve muito mais do que construir um ambiente de trabalho informal, com treinamentos motivacionais e pesquisas de satisfação. É um processo que deve alinhar as jornadas dos colaboradores à cultura organizacional da empresa, com a implementação de modelos dinâmicos de atividades que aproximem os dois lados dessa moeda.

Um ótimo exemplo de como alcançar esse objetivo está nas companhias que conseguem estruturar uma ação de onboarding robusta. Muitas marcas pecam por concentrarem os esforços em promover o engajamento das equipes quando elas já estão estabelecidas. Porém, há casos em que nem sequer essa oportunidade chega a existir, uma vez que os novos membros dos times podem não entender completamente os processos e propósitos da empresa nos seus primeiros meses de atuação, considerando que a saída é a melhor decisão.

Por esse motivo, desde o início da sua história na organização, o colaborador precisa se envolver profundamente com ela, ciente de como entregar o seu melhor nas funções do dia a dia. Isso só acontece se as lideranças ajudarem os ‘novatos’ a se sentirem acolhidos, pertencentes, valorizados e motivados, com práticas de gestão de pessoas que abordem uma boa comunicação entre os funcionários, a facilitação de suas atividades e o reconhecimento por bons desempenhos.

Não à toa, o marketing de incentivo tem se mostrado indispensável tanto na jornada de empresas jovens, como de profissionais que estão iniciando suas trajetórias no mercado. Se pararmos para olhar dados do Fórum Econômico Mundial (FEM) no relatório “Futuro do Trabalho”, veremos que 65% das crianças que estão começando o primário têm grandes chances de trabalhar em empregos que ainda não existem. Dessa forma, a instituição e os seus integrantes só conseguem caminhar lado a lado com uma troca de experiências legítima e de qualidade.

Nesse sentido, a área de tecnologia é a que mais tem se encaixado atualmente, visto que tem se atualizado com novas funções constantemente nos últimos anos. No ramo tech, vemos muitos iniciantes, ou mesmo especialistas experientes, escolhendo as marcas que querem trabalhar devido à demanda cada vez maior por uma mão de obra qualificada e versátil; se não há uma identificação com aquele grupo, a chance desses trabalhadores enxergarem oportunidades melhores nos concorrentes é gigantesca.

Diante desse contexto, as soluções de incentivo são fundamentais para reter talentos, no que diz respeito à satisfação dos funcionários e, consequentemente, à percepção deles com relação ao negócio. Um programador que for reconhecido com viagens ou prêmios, por exemplo, compreenderá que a sua capacidade está sendo observada, aproveitada e valorizada naquele ambiente, gerando mais motivação para que ele seja produtivo e possa não só ser cada vez mais reconhecido, mas também fazer parte daquela história de sucesso.

O céu é o limite quando falamos da jornada de incentivo de um colaborador dentro das empresas. Qualquer organização que investe em pessoas, seja ela uma PME ou uma grande corporação, já está a anos luz à frente no mercado com produtos e serviços inovadores feitos por um time talentoso, ou lidando de forma unida e madura com períodos de instabilidade.

É preciso entender que, para gerar preferência pela sua marca, é necessário que a ação da empresa seja relevante e consiga fazer com que os participantes enxerguem claramente os benefícios de priorizar seus produtos ou serviços. Isso acontece quando ela estabelece uma conexão emocional com as pessoas, capazes de se sobreporem às meras características técnicas daquilo que se tem a oferecer.

Se antes as soluções publicitárias estavam muito longe de serem integradas, hoje são dados cada vez mais avançados, portanto qualificar, mensurar, automatizar, analisar e mapear pesquisas da maneira que podemos fazer atualmente é uma oportunidade que não deve ser desperdiçada.

*Silvana Torres é presidente e fundadora da Mark Up

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

7 habilidades profissionais que o mercado de trabalho busca

O sucesso para a liderança passa pelo aprendizado contínuo?

Como anda a saúde financeira do seu colaborador?

Acompanhe tudo sobre:GestãoIncentivos fiscaisMotivaçãoRecursos humanos (RH)saude-mental

Mais de Bússola

Bússola Poder: o tribunal eleitoral do capitão

Open Finance é confiável? Cresce 33% número de brasileiros que aceitam compartilhar dados bancários

Saiba qual é o gasto de energia da geladeira mais econômica do mercado que acaba de ser lançada

Saiba em quais cidades é melhor contar com um carro alugado

Mais na Exame