Grande SP vai relaxar isolamento, mas regras serão endurecidas no interior

Após alta nos casos e óbitos, as cidades das regiões de Presidente Prudente, Barretos e Ribeirão Preto voltam para a fase 1 do plano de reabertura

O governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira, 10, uma revisão no plano de reabertura do estado implementado há duas semanas.

A partir do próximo dia 15, algumas regiões poderão flexibilizar as medidas de isolamento, mas o aumento de casos e óbitos pela covid-19 no interior fez com que o governo decidisse endurecer novamente as regras de isolamento em alguns locais.

Segundo o governo, a região metropolitana de São Paulo, a Baixada Santista e o Vale do Ribeira poderão flexibilizar a quarentena e autorizar o retorno gradual de algumas atividades.

As cidades que estão nessas regiões entram, então, na fase 2 do plano de reabertura, que libera o retorno, mas com restrições, das atividades de imobiliárias, concessionárias de veículos, escritórios, comércio e shopping centers. A decisão de como será feito esse retorno fica com os prefeitos.

“Em 15 dias, aumentamos 40% da capacidade hospitalar da região metropolitana de São Paulo. Foram adicionados 304 novos leitos de UTI e a taxa de ocupação ficou abaixo de 80%”, disse Marco Vinholi, o secretário de Desenvolvimento Regional.

No entanto, as regiões de Presidente Prudente, Barretos e Ribeirão Preto voltam para a fase 1 do plano, que libera apenas os serviços essenciais.

De acordo com dados do Centro de Contingência do novo coronavírus, as cidades localizadas na região de Presidente Prudente tiveram alta nos casos de internação por covid-19 de 60% em uma semana e uma variação de óbitos de 50%. Barretos variou os casos de 93% e 100% em óbitos e Ribeirão Preto de 51% nos casos e 100% nas mortes.

Já as regiões de Araraquara e Bauru, que estavam na fase 3 do plano, voltam para a fase 2. Nesse caso, bares, restaurantes, salões de beleza e barbearias que haviam sido autorizados a reabrir, com restrições, deverão fechar novamente.

Todas essas mudanças passam a valer a partir da próxima segunda-feira, dia 15. Até lá, as prefeituras dos municípios que tiveram restrição dos serviços deverão publicar decretos municipais adequando as normas locais aos novos direcionamentos.

De acordo com Vinholi, há ainda um ponto de atenção nas regiões de Sorocaba e Campinas, hoje na fase 2 de reabertura. Se não houver melhora nos índices da covid-19, será necessário retornar para a fase 1, de restrição absoluta.

Na capital e demais regiões (Araçatuba, Campinas, Franca, Marília, Piracicaba, São João da Boa Vista, São José do Rio Preto, Sorocaba e Taubaté) que estavam na fase 2 de retomada, houve estabilidade na maioria dos índices, afirmou o governo.

Por isso, todas permanecem na mesma classificação até a próxima atualização do plano, prevista para o próximo dia 17.

Veja no mapa abaixo como fica a situação de cada região

 (Governo de SP/Reprodução)

Novo recorde em SP

Nesta quarta-feira, 10, o estado bateu um novo recorde de mortes por covid-19 confirmadas em 24h. Foram 340 novos óbitos e 6.178 novos casos no boletim divulgado.

No total, há 9.862 vítimas e 156.316 infecções. A taxa de ocupação de leitos é de 69,1% no estado e 76,6% na Grande São Paulo.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?

Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?

Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.